0

Logo alfacon Alunos Aprovados

Estude com quem mais aprova!

  • 1/3 dos aprovados na Polícia Federal são Alfartanos!
  • 1º lugar nacional na Polícia Rodoviária Federal é Alfartano!
  • 1º colocado no DEPEN é Alfartano!
  • 662 aprovados no INSS são Alfartanos!
  • Mais de 400 aprovados no TJ PR são Alfartanos!

Faça parte dos mais de 50.000 alunos aprovados!

Evandro 01
  • Deise Loreto Polícia Civil Pernambuco
    Mqdefault
  • Alexandra DEPEN 2015
    Mqdefault
  • Lais Polícia Civil Pará 2016
    Mqdefault
  • Evanildo Agente Polícia Federal 2014
    Mqdefault
  • Phelipe Cartaxo DEPEN 2015
    16522367 1282544751830596 1260571536 o

    Meu nome é Phelipe Cartaxo, nasci em Goiânia, mas moro em Niterói a 14 anos. Tenho 23 anos. Não tenho nível superior completo, mas estou terminando o tecnólogo de Processos Gerenciais e tranquei minha faculdade de Direito pra fazer o curso de formação do DEPEN.

    Decidi estudar pra concurso público por saber que o mercado de trabalho não está fácil de entrar, por me dar uma estabilidade no trabalho, por ter uma ótima remuneração e porque meu sonho sempre foi ser um Agente Federal.

    Comecei meus estudos em 2013, quando saiu o edital do concurso do DEPEN daquele ano. Eu comecei a estudar especificamente ao concurso do DEPEN/2015 um mês antes de sair o edital. Minha rotina de estudo era das 7h da manhã até não conseguir ler mais nada. As vezes eu ia até as 20h, 22h. Parava pra malhar, comer e pegar o ônibus pra faculdade. Estava focado só no DEPEN e só estudava o conteúdo deste edital.

    Muita gente fala que estudar tantas horas por dia não rende muito, que estudar várias matérias por dia também não rende, mas eu estudava todas as matérias todos os dias. Eu assistia as aulas apenas uma vez e fazia meu resumo pelo o que o professor falou, pelo pdf e pelos exercícios. No final eu tinha dois cadernos de 10 matérias só de resumo. Todo dia eu lia estes dois cadernos e lia o texto de lei das portarias que caíram na prova. Então minha dedicação pras básicas ou específicas eram as mesmas.

    Eu conciliava os estudos com as duas faculdades, mas mesmo estando na faculdade, eu estudava pra concurso. Sei que não é certo, mas eu mal olhava pros professores. Outra coisa que eu conciliava era com a igreja. Eu era líder do louvor e dos adolescentes da igreja, então minhas terças, sextas e domingo a noite eu deixava exclusivamente a Deus.

    Estudei pelo anual das Carreiras Policiais, pelos pdf e pelas apostilas que eu tinha aqui do Alfacon de outros concursos. Todo o conteúdo foi batido nas aulas, menos Criminologia, mas a prova de Criminologia eu achei atípica.

    Sempre estive motivado, nunca pensei em desistir. O que sempre me deixou motivado foi meus pais dando apoio e a igreja. Uma coisa que me ajudava era assistir videos motivacionais de policia, ver fotos e claro ver a remuneração.

    Eu abdiquei de muita coisa, principalmente da minha vida social. Eu fiz um acordo comigo mesmo que iria me abdicar por alguns meses, mas que tudo é passageiro e depois eu poderia curtir muito. Um relacionamento acabou, perdi algumas amizades, mas isso faz parte. Os verdadeiros amigos são aqueles que te apoiam e permanecem do seu lado.

    Hoje eu estou namorando e moro com meus pais (pelo menos até ser nomeado).

    Meus pais no começo não aceitaram muito eu estudar pra concurso. Eu cursava Eng. Elétrica na UERJ, estava no sexto período, e falei pra eles que iria largar a faculdade pra estudar pra concurso e que iria fazer Direito. Eles não foram muito a favor, mas eles viram meu esforço e dedicação e me apoiaram. Meus amigos

    também

    me chamaram de louco, mas viram os resultados da "loucura" que eu

    fiz e muitos hoje me pedem conselho e ajuda.

    Eu já fiz outras provas: DEPEN 2013, Caixa (me classifiquei, mas não fui chamado até hoje), Tj/RJ, TJ/Sp (não passei por 1 questão), Bombeiro Rj (passei entre as vagas, mas reprovei no TAF) e Fiscal de Posturas de Niterói. Somente Bombeiro eu fiz pra treinar, já que a prova foi algumas semanas antes do DEPEN. A prova só caiu

    Português

    e

    Matemática, então decidi treinar Português. Por

    ter

    feito engenharia e ter facilidade com exatas, eu não me preocupei. A única prova que eu me decepcionei foi o TJ/RJ. Eu tinha estudado muito e tomei uma porrada gigante na prova.

    Comecei a estudar 1 mês antes de sair o edital. Estava estudando as matérias do concurso de 2013. Ainda bem que só comecei a estudar 1 mês antes, porque apenas 20% do que caiu em 2013 estava no edital de 2015 e isso fez nivelar todo mundo. Eu ficaria com muita raiva se estivesse a meses me preparando e tudo ter sido em vão.

    Quando o edital saiu, muita gente desistiu de fazer a prova por ter o conteúdo diferente da PF e PRF. Foi ai que eu vi uma ótima oportunidade de cair de cabeça nos estudos e passar. Olhei uma oportunidade onde muitas pessoas viram um problema.

    Conheci o Alfacon em 2013. Meu primo me mandou uma palestra de "Como estudar para concurso" que estava no Youtube. Foi ai que me apaixonei por concurso e pelo Alfa e conheci o mestre Evandro.

    O AlfaCon me ajudou por ter me dado o start de estudar, por estar sempre motivando os alunos falando a verdade na cara e por ter os melhores professores do Brasil passando o conteúdo de forma simples, dinâmica e muito das vezes engraçada.

    Eu sempre tive muita dificuldade de decorar. Eu sou péssimo pra decorar e sou muito esquecido. Conheço pessoas que basta ver uma vez algo que já decora ou aprende, eu preciso ver esta mesma coisa várias vezes pra decorar. Graças a Deus eu sempre tive facilidade de aprender, mas o problema era decorar mesmo. Então eu lia meus cadernos de resumo todo dia, fazia os mesmos

    exercícios

    diversas vezes e tentava bater todo o

    conteúdo

    no dia ou pelo menos em 2 dias. Não sei se é a técnica certa a se fazer, mas ela deu certo comigo.

    As maiores dificuldades foram: conciliar o tempo com a faculdade, me concentrar nos estudos com uma casa sendo

    construída

    atrás de

    mim e um condomínio de 10 casas do lado e dinheiro. Meu pai me sustentou durante este tempo, mas ninguém gosta de depender de

    ninguém

    e muito mais ficar pedindo dinheiro a papai, mas isso me dava mais incentivo ainda pra estudar e

    passar.

    Eu deixei um pouco de lado a faculdade, estuda só em véspera de prova. Eu tentava colocar música de

    concentração

    pra amenizar o baruto

    das obras. E eu economizava em tudo, fazia o

    máximo

    pra

    não

    gastar.

    Nunca tive muito problema com nervosismo ou ansiedade. Fui muito tranquilo pra prova, eu sabia que tinha dado o meu melhor nos meus estudos. Ficar nervoso só iria me prejudicar. Orar tira a ansiedade e o nervosismo, nos dá paz.

    Na última semana eu parei de ler meus resumos e comecei a fazer só

    exercícios. Acho que eu fazia mais de 500 por dia. Eu só abria o caderno

    pra ver o que eu tinha errado ou pra tirar dúvida. E eu estudei até os 45min do segundo tempo. No sábado (um dia antes da prova), eu fui dormir 3h da manhã pq estava estudando e assistindo algumas

    revisões

    no youtube.

    Tem um caso curioso que aconteceu logo quando eu sai da prova. Meus pais estavam me esperando no lado de fora do prédio que eu fiz, e logo que eles me viram perguntaram: "Phelipe, como você foi?". Eu respondi: "Pai e mãe, uma vaga é minha! Eu tenho certeza que passei." Todas as outras pessoas que estavam naquele ambiente ouviram e me olharam com uma cara estranha. Não falei aquilo pra menosprezar ninguém ou pra ficar me achando. Falei porque eu estava confiante no que eu fiz e confiante na minha vaga. Nem acreditei quando saiu o resultado e eu era o primeiro. Acho que até hoje a ficha ainda não caiu.

    Muitas coisas foram efetivas na minha preparação: o Alfacon, professores, Evandro, meus pais, família, amigos, ... Mas o principal foi Deus. Principalmente por ele me ajudar na parte emocional (que vale mais de 50% do motivo da aprovação de qualquer pessoa). Não adianta nada uma pessoa estar bem preparada e chegar na prova muito nervosa e ansiosa e dar um branco.

    Tenho certeza que nesta caminhada houve falhas, mas falhar é humano e faz a gente crescer.

    Cara, eu vou te falar o que eu falava pra mim mesmo todos os dias. Eu prefiro ter uma vida de merda durante alguns meses, 1 ano, 2, 3, 4, 5 anos mas estudando que nem um condenado, do que não estudar, desistir dos concursos e ter esta vida de merda pra sempre.

    Eu coloquei isso na minha cabeça quando eu tinha 21 anos e coloquei a meta até os 30 anos. Hoje estou com 23 anos e cheguei a metade do caminho. Vou continuar estudando e se for preciso, vou estudar que nem um maluco até os 30. Se eu passar no concurso dos meus sonhos antes, amém, melhor ainda.

    2017 promete ter excelentes concursos. Aproveita que a maioria parou de estudar por causa da crise e da suspensão de alguns concursos e mete a cara. Não olhe isso como um problema, veja como a oportunidade da sua vida.

    Ler depoimento completo
  • Eder Nepomuceno Alves Polícia Rodoviária Federal 2013
    Eder nepomuceno alves 05

    Meu nome é Eder Nepomuceno Alves. Nascido em Morretes - PR mas criado em Matinhos, litoral do PR. Formado em Ciências Contábeis e decidi estudar para concurso em 2010 quando fiz a prova da Polícia Civil do PR e fiquei por uma questão. No início fiquei mal, mas com o tempo percebi que não merecia aquela vaga. Resolvi então “cair para cima”, estudando pra PR/PRF a partir de 2011. Veio a PF 2012 e levei uma surra, e novamente percebi que não era suficiente, precisava de algo a mais.

    Trabalhei no Hsbc por 7 anos e tentava conciliar a rotina estressante do Banco com aulas em cursinhos e materiais de colegas mas não adiantava. Em 2013 resolvi sair do Banco e me dedicar integralmente aos estudos...10 a 14 hrs por dia de estudos.

    Fiz o Alfacon online. Por inúmeras vezes me questionei, se o que estava fazendo era o correto, ninguém acreditava em mim mas eu precisava muito mudar. Assistia vídeos motivacionais e algumas dicas de estudos de quem já havia passado.

    Depois que sai do Banco era foco total nos estudos mas tinha dia que batia o desânimo e vinha a vontade de parar...uma oração....pensamento positivo e vamos continuar!!

    Renunciei tudo, família, amigos, festas...tudo mesmo. Meus amigos de futebol não entendiam pq eu não jogava mais bola sendo que eu era o mais fominha do time.

    Essa parte foi f...! Esse sonho custou meu casamento. Ninguém acreditou em mim, pois não tinha uma postura de quem passaria num concurso tão concorrido. Meus pais me apoiavam e me custeavam.....mas sentia que eles também não botavam tanta fé em mim. Fui contra tudo e todos...eu e Deus.

    Já fiz prova pra tudo, Banco do Brasil, caixa, Sanepar, bacen.. ..só fiasco, nem conferia o gabarito de vergonha...isso me deixava mal.

    Conheci o AlfaCon por indicação de um amigo. Comecei a ver os vídeos do Evandro, achava ele mentiroso na época, mas hoje entendo que ele é assim mesmo... e eu comprei a ideia.

    O Alfacon me organizou, fez eu criar uma rotina de estudos e ter uma postura.

    A maior dificuldade foi a falta de grana...isso me arrebentava. Meus pais mandavam o q tinham...e certa vez enviaram um cartão alimentação da Sanepar (onde meu pai trabalha até hoje) com 100 reais de saldo para eu fazer a compra da semana,.com esposa e 2 filhos pequenos. Pois bem, a conta deu 200 reais e tive que devolver metade das coisas. Minha filha não entendia porque daquilo e meu irmão me vendo transtornado apenas me falava baixinho: “calma, Eder!”, ao me ver tremendo de nervoso. A fila já estava grande e as pessoas me olhavam querendo saber porque demorava tanto pra pagar.

    Para superar os obstáculos rezei muito, muito mesmo. Deus te segura, mas você tem que estudar!!! E no dia seguinte lá estava eu às 06:00 em ponto, debruçado sobre a mesa e papirando.

    Esgote todos os recursos necessários para realizar seus sonhos. Porque olhar nos olhos dos meus pais na formatura em Florianópolis foi mágico! Valeu a pena cada lágrima, cada humilhação que passei (e foram muitas) e isso me fortaleceu. Hoje eu nem trabalho, porque o que eu faço, faço com amor! E isso não é trabalho, é prazer. Hoje eu vivo um sonho. Virei referência para os meus filhos e provei pra uma cidade inteira que é possível sim, sair de uma escolinha pública e conseguir passar num bom concurso. A PRF é maravilhosa. Isso aqui é sacerdócio. O cara que entra pela grana não vai ser feliz, mas se gostar disso tudo, ele vai viver os melhores anos da vida dele.

    Na verdade é que nunca foi sorte, sempre foi Deus. Deus os abençoe.

    Ler depoimento completo
  • David Vieira de Barros Polícia Civil DF 2013
    David vieira de barros01

    Meu nome é David Vieira de Barros, sou nascido na cidade de Guaratinguetá/SP, mas moro em Brasília/DF a quase 14 anos, tenho 27 anos, sou formado em administração de empresas. Por ter vivido muito tempo no estado de SP, nem sabia que existiam concursos, então fui morar em Brasília e na época da faculdade, conversando com colegas conheci esse universo, e também meus pais são servidores públicos, ambos militares. Vendo tudo isso e analisando a área privada para trabalhar em Brasília, resolvi tentar a área pública e seguir próximo dos serviços dos meus pais, estudando para área de segurança pública.

    Comecei a estudar de verdade em maio de 2012, e o último concurso que eu prestei e fui aprovado foi em outubro de 2013. Minha Rotina era Trabalhar das 9 às 18h de segunda a sexta, então estudava todos os dias à noite em casa e ia para a academia, geralmente estudava das 19 às 21, ia para a academia e depois estudava das 23 até onde eu aguentasse, 1 ou 2 horas da manhã. Eventualmente estudava antes de ir para o trabalho também, acordando as 6 e 30 e estudando até as 8 da manhã. Finais de semana estudava 3 horas de manhã, 3 a tarde e 3 a noite. A princípio eu estudava tudo, fazia um quadro de estudos que aprendi com o Evandro guedes e seguia a risca. Com o passar dos meses você vai identificando suas deficiências e estudando nelas, no meu caso uma época foram as leis especiais. Como mencionei, fiz um quadro de estudos, igual ao que Evandro guedes ensinava, pelo menos em 2012 hehehe, 2 matérias mais exercícios por dia tudo igualmente dividido.

    Desde que comecei a estudar para concurso eu já trabalhava, como mencionei de segunda a sexta das 9 as 18. A principal dica para conciliar é o foco e não se preocupar se esta estudando 10 horas ou 3 horas por dia, o importante é estudar e não parar. O fato de eu nunca ter feito curso preparatório presencial e estudar 3 ou 4 horas por dia durante a semana, não me impediu de conseguir a aprovação. Para conciliar eu já mencionei a cima o meu dia a dia de segunda a segunda.

    Quando comecei a em maio de 2012 eu comecei com vídeo-aula, mas depois de uns 8 meses mais ou menos, já estudava apenas em matérias PDF e poucas vezes com vídeo aula. Bom, para mim os materiais tinham todo conteúdo e funcionou, 4 aprovações.

    Eu sempre gosto de deixar claro que eu nunca gostei de estudar, nem pra concurso, nem em época de faculdade nem ensino médio nem nada, porém eu tenho 2 características que me ajudavam muito que são a disciplina e o foco. Por mais que eu não gostasse de estudar, quando eu coloquei na minha cabeça que iria estudar para conquistar algo maior, eu segui a risca o meu plano de estudo e durante o tempo que estudei segui exatamente tudo o que planejava. Claro que no final de 2013 eu já estava um pouco de saco cheio mas como os concursos não paravam de sair eu me mantive firme até o último que me interessasse. Sinceramente, pensar em desistir eu não pensei, no ano de 2012, de maio a dezembro, eu me dediquei bastante mas não consegui aprovação em nada, mas ainda assim eu tinha consciência que poderia demorar mais um tempo, até que veio a primeira a provação na PMGO em fevereiro/março de 2013, ainda que eu tivesse sido aprovado, então a prova foi anulada e eu tive que refazer a prova e ser aprovado novamente, eu comecei a ver que era possível sim passar em qualquer concurso que eu quisesse, bastasse que eu me dedicasse o necessário. Sinceramente eu não tinha desmotivação, apesar de como disse, nunca gostar de estudar, eu ia fazer aquilo até que eu passasse, era a única coisa que eu pensava, coloquei uma meta distante , dizendo para mim mesmo que eu teria que dar um jeito na minha vida até os 30, na época tinha 22/23 anos. A minha motivação era simplesmente garantir um cargo que me desse uma estabilidade financeira e meu plano principalmente sinceramente, era estudar o máximo possível e conseguir passar no melhor concurso possível no menor tempo possível hahaha. Vale ressaltar que o blog do AlfaCon me ajudou muuuito, pois todos os dias haviam informações interessantes e motivadoras por lá.

    Bem, na época eu era um cara que gostava de farra, nunca tive muito dinheiro, então eu consegui um trabalho que me pagava 2.000,00 reais em junho de 2011, então eu comecei a farrear mesmo, conheci muita gente, saia quase todos os finais de semana, enfim, fui fazer o que não tinha feito entre os 15 e 20 anos hahaha. Então quando eu decidi parar toda a minha vida para estudar, foi complicado, vários amigos me chamavam para sair, familiares me chamavam para festas e aniversários, mas eu me mantinha focado no meu objetivo. Mas o pior é mais no inicio, depois que você começa a respirar e viver a quase profissão de ser “estudante de concurso”, com o tempo vc não liga tanto para

    isso, vai vendo sua evolução e sempre vai querer mais, pois as portas vão se abrindo. Para mim o pior era que como já mencionei, nunca gostei de estudar, então eu me propus a fazer uma coisa que eu não gostava, e deixar de fazer coisas que eu gostava, como sair com os amigos, ir ao cinema, ver séries na TV, confesso que precisa ter muita força de vontade para fazer algo que não gosta tanto, para deixar de fazer algo que você gosta, mas no fim posso dizer sem sombra de dúvidas, que vale a pena.

    Atualmente estou noivo e moro com minha noiva, mas na época, em 2012/2013, eu estava solteiro e morava com minha mãe e uma irmã. Eu sinceramente não estava preocupado com aceitação de ninguém, eu fazia o que eu queria, sempre tive minha cabeça para fazer as coisas e sempre foi assim, quando eu quero fazer não me interesse o que os outros pensem. No meu caso, minha mãe não incentivava nem achava ruim, apenas me deixava fazer o que eu queria, da forma que eu queria. Amigos alguns davam uma força com palavras, outros não se preocupavam, e outros ainda nunca mais falaram comigo, principalmente aqueles “amigos de balada” que só dura enquanto está saindo, normal.

    Fiz muitos concursos na época. Não acredito em sorte em concurso

    como fator de aprovação ou reprovação, mas acredito que tive sorte por 2012 e 2013 ter acontecido muitos concursos, então em 2012 fazia tudo que aparecia, para concursos para minha área de formação (Administração) e outros que tivessem matérias relacionadas. No fim de 2012 foi quando foquei apenas em concursos para a área de segurança pública, Então cheguei a fazer PMGO, PMDF, PF, DEPEN e PCDF. Eu fazia concursos para minha área de formação sem de fato estudar muito, apenas com o meu conhecimento de faculdade, apenas com aquela esperança de que talvez conseguisse, hahaha, mas estudava a finco para os concursos de segurança pública e fazia todos que saiam, para mim todos eram treinamentos.

    No fim de 2012 eu vislumbrei um futuro que em 2013 teriam muitos concursos para a área de segurança pública e começou saindo PMGO e PMDF no fim de 2012. Nesses dois casos estudei com o edital aberto mas para os outros concursos eu já seguindo nos meus estudos esperando até que eles saíssem. Como 2013 tinham esperanças reais de que saíssem os concursos que esperava, eu conseguia me manter motivado, principalmente por que começaram a aparecer as aprovações.

    Em 2012, logo depois do carnaval, eu resolvi que queria mais para a minha vida, queria conquistar mais coisas e o principal, que me motivava mais era viajar para outros países, sempre tive curiosidade de conhecer outros países, outras culturas. Então comecei a estudar mas totalmente perdido, não tinha dinheiro para pagar um curso presencial em Brasília, então comecei a “garimpar” materiais no youtube, e foi quando encontrei vídeos do Evandro Guedes dando aula de direito Administrativo, Em seguida descobri o Blog do AlfaCon que para mim era o melhor de todos, sempre com histórias motivacionais, sempre positivas, e além da equipe, os alunos, e participantes do blog eram sempre gentis e motivadores. E foi assim que cheguei até o AlfaCon que na época era uma pequena empresa que dava aula em cascavel e ninguém conhecia hahaha.

    O principal foi o direcionamento, foi graças aos vídeos do Evandro que me fizeram encontrar um rumo nos concursos, saber estudar de forma inteligente, organizada, fazendo e seguindo o plano de estudos. A base que eu fiz para depois de mais de 1 ano eu conseguir o que consegui, foi graças ao AlfaCon, me deu o direcionamento de como fazer com que o pouco que eu podia estudar, fosse eficaz o suficiente para mudar minha vida.

    Eu para ser sincero nunca gostei de escrever, sempre tive preguiça hahaha, a minha vantagem é que tinha uma excelente memória, escrevia pouco, mas lia muitas vezes o mesmo assunto até que conseguisse memorizar. Na realidade não tenho muitos mistérios ou técnicas, para mim, o que me fez ser aprovado foi minha memória, minha dedicação que seguia a risca todo o plano de estudo e a repetição, estudando um, duas, cinco, dez vezes se fosse preciso o mesmo assunto, por isso a vantagem de se estudar para uma única área (no meu caso, área de segurança pública). Não me acho um exemplo de forma de estudar, pois sei que existem várias outras formas mais eficazes, fato é que os concursos que fui aprovado, eu não estava nem perto de estar “nas cabeças” hahaha.

    Minha maior dificuldade era me dedicar inteiramente a algo que eu não gostava de fazer e ao mesmo tempo deixar de fazer tudo o que eu sempre gostei de fazer, acredito que esse era o meu maior dilema mental, toda vez que eu passava pela sala e via uma série de TV que eu gostasse passando eu tivesse que ignorar e ter que ir para o quarto estudar.

    Para superar os obstáculos, eu acho, grande parte começa a estudar achando que nunca vai passar, por que você faz uma, duas cinco provas e não consegue nada, mas quando você consegue a primeira aprovação, isso te faz esquecer todo esse pensamento negativo que tinha, faz com que você acredito que possa ser aprovado em qualquer concurso que queira, basta se dedicar o necessário e isso que me fez superar tudo, quando obtive minha primeira aprovação e que dois meses depois aproximadamente veio a segunda aprovação então foi fazendo com que esquecesse o obstáculo e quisesse cada vez mais.

    Nesse aspecto, ansiedade, eu sou um ponto fora da curva hahaha, nunca fui de ficar nervoso para fazer prova, talvez um pouco de ansiedade mas nada que me atrapalhasse. Insegurança sempre tem, mas não me preocupava, pensava que a regra era eu reprovar, caso eu conseguisse ser aprovado seria o ponto fora da curva, então estava tranquilo para fazer todas as provas. Na realidade eu sentia muito mais isso depois da prova, quando saia gabarito ou quando era dia de sair resultados de fases do concurso. O que eu modificava algumas vezes nos estudos era que nas últimas duas semanas eu só fizesse exercícios, esquecesse a teoria e só fosse pra prática, só exercícios até o dia da prova. Eu não me preocupava em estudar

    um dia antes da prova, como tinha memória boa, sempre achei que me ajudava pois estaria mais “fresco” em minhas memórias.

    O que vejo hoje em dia que muitos estudantes de concurso tem que eu sempre tive é a disciplina e o foco, pois eu sei o quanto é difícil abdicar de coisas que você gosta de fazer para fazer algo que você não aprecie muito. Além também da perseverança de ser reprovado em por exemplo 5 provas seguidas mas ainda assim continuar estudando, muitos desistem no meio do processo, o que é um grande erro. Com certeza houveram falhas, por exemplo a falta de escrita, eu não gosto de escrever, minha letra é feia e acho um saco, apesar de ter consciente que ajuda e muito para gravar coisas na cabeça e fazer resumos por exemplo, talvez se fizesse mais isso teria melhores classificações nos concursos que obtive aprovação.

    A principal dica é NUNCA parar até atingir o seu objetivo, muitos ficam pensando “ah, mas eu trabalho o dia todo, tenho pouco tempo para estudar, enquanto isso tem gente que não faz nada da vida e estuda 10 a 14 horas por dia”, mas isso não quer dizer absolutamente nada, primeiro por que são pouquíssimas que tem esse poder de concentração tão grande durante vários dias e ainda mais por anos. Segundo que você não precisa ser o primeiro do concurso, basta estar dentro, mesmo que seja o último. No atual cargo que estou, Escrivão de Policia do Distrito Federal, eu fiquei no top 10 na tabela de classificação, só que na tabela de cabeça para a baixo hahahaha, ou seja, fiquei entre os 10 últimos. Fiz a prova em outubro de 2013, fiz o curso de formação em maio de 2014, e só tomei posse em agosto de 2016, mas estou aqui, ganhando tanto quanto o primeiro do meu concurso, então que tenham paciência também, pois concurso é coisa demorada, muitas vezes decida em meio a muita política mas com paciência, disciplina, foco, perseverança e confiança, pode demorar

    8 meses ou 8 anos, mas uma hora, chega sua vez, basta nunca parar.

    Ler depoimento completo
  • Gustavo Sampaio Polícia Civil Pará 2016
    Gustavo sampaio 04

    Meu nome é Gustavo Sampaio. Moro em Teresina-PI. Sou formado em direito e decidi estudar pra concurso porque senti que tinha vocação pra ser policial, e durante formação em contato com as disciplinas Penal e Processo Penal confirmei que era essa carreira que realmente deveria seguir. Sem contar que, o concurso público te proporciona uma estabilidade financeira e uma aposentadoria digna.

    Consegui aprovação após 1 ano e 6 meses de estudos e algumas reprovações, estudando em média 6 horas líquidas, dando ênfase as disciplinas da minha área, mas sem menosprezar as demais, devido a alta concorrência do certame.

    Tive que conciliar os estudos com o trabalho de assessor judicial e de forma planejada ainda sobrava tempo para a prática de atividades físicas, imprescindível pra quem quer concorrer ao cargo policial.

    Estudei por livros e apostilas, inclusive com materiais do AlfaCon.

    Quase sempre estava motivado e sempre que pensava em algo desmotivante assistia vídeos motivacionais e as aulas dos professores alfartanos, pois esse é o diferencial do alfacon - além de conhecimento em alto nível nos mantém sempre motivado para vencer a batalha.

    Abdicar foi a parte mais difícil, pois muitos finais de semana tive que abrir mão de sair com a namorada, de viajar para a cidade onde moram meus pais para encontrar com a família e os amigos e de tomar aquela cervejinha.

    Tenho namorada, que também estuda pra concursos. Moro com duas irmãs, em Teresina-PI, e meus pais moram em União, a 60km. Eles sempre me apoiaram durante esse período. Os amigos, alguns se distanciaram, mas ganhei outros amigos que também eram concurseiros.

    Tentei outros concursos, e após a PRF, consegui aprovação no concurso de Oficial da PM do Estado do Piauí, e recentemente no concurso dos meus sonhos, Delegado de Polícia Civil do Pará, conquistando a 1ª vaga.

    No começo confesso que estudava somente após a abertura do edital, porém com as reprovações aprendi que não dar tempo ver o conteúdo do edital se continuasse agindo dessa forma. Então, passei a estudar as disciplinas específicas antes de sair o edital e após incluía no plano de estudos as demais.

    AlfaCon eu conheci através da internet, quando assisti uma super revisão para o concurso de escrivão da polícia federal em 2013, e logo notei o diferencial que era a motivação dos professores, principalmente do mestre Evandro Guedes,

    transmitida para os alunos alfartanos.

    O AlfaCon me ajudou de maneira substancial, pois além de me manter motivado me propôs grandes conhecimentos, um exemplo disso é a famosa "árvore do crime", criação do ilustre professor Evandro Guedes.

    A técnica que eu utilizei para otimizar o aprendizado e a memorização foi a revisão e a resolução de muitas questões, principalmente da banca que eu iria enfrentar

    A maior dificuldade, sem dúvidas, era a rotina de estudos que é muito desgastante. Mas quando sentia que a cada dia estava progredindo a rotina se tornava prazerosa.

    O que me fez superar as dificuldade foi, primeiro, a situação em que eu me encontrava, pois não estava satisfeito com o lado profissional. Segundo, a vontade de acordar todos os dias e fazer o que gosto, pois assim o trabalho se torna uma diversão que você não quer que acabe.

    Eu procurava controlar a ansiedade, pois isso é algo natural. Lia a bíblia e artigos de pessoas que entendem do assunto, como o mestre Willian Douglas.

    O fator efetivo para minha aprovação foi a disciplina, pois seguia religiosamente o meu programa de estudo.

    A dica que eu deixo é: saia da zona de conforto e pague o preço pela realização de seus sonhos, e verá o quanto tudo isso vale a pena. Se tivesse que fazer faria tudo novamente!! Por fim, estude de forma planejada, com dedicação e confie em Deus, que o resultado virá e terá uma vida inteira para desfrutar do melhor da vida.

    Ler depoimento completo
  • Marcos Altmann Polícia Rodoviária Federal 2013
    Marcos altmann

    Meu nome é Marcos. Sou de Irineópolis-SC, 33 anos, graduado em Agronegócios e pós graduado em Gestão Ambiental. Decidi estudar para concursos para adquirir uma boa renda mensal, estabilidade e conseguir realizar meus sonhos.

    Me preparei por aproximadamente 2 anos até conseguir a aprovação que eu almejava. No inicio dividi o tempo dos estudos por igual entre todos os conteúdos, mais adiante dedicava mais tempo nos conteúdos que eu tinha mais dificuldade. Estudava de 6 a 8h diárias, tirando apenas 1 dia da semana para descansar. Sempre segui as orientações do Evandro para adquirir maior aproveitamento nos estudos.

    Sempre conciliei os estudos com o trabalho, mas mesmo trabalhando sempre consegui tirar um tempo para dedicar aos estudos.

    Estudei com as videoaulas e pdfs do AlfaCon, também com áudio das videoaulas convertidas em mp3, os quais ficava ouvindo sempre que podia. Além disso praticava muito fazendo provas de concursos anteriores.

    Uma vez ou outra me senti desmotivado, principalmente quando não conseguia a aprovação num concurso realizado, mas sempre busquei força vendo as conquistas de outros concurseiros, sabendo que com esforço chegaria minha vez.

    Abri mão de muitas festas e diversões para ficar estudando, foram 2 anos dedicado quase que 24h a isso, mas tudo valeu a pena, agora estou aproveitando em dobro.

    Sou casado e sempre tive apoio da família, que eu saiba todos entenderam o porquê do meu empenho.

    Fiz vários concursos para ganhar experiência, sendo que fui aprovado em 7 ao todo, sendo que em vários nem assumi o cargo, que foi o caso da PRF, fui chamado para a matrícula mas optei

    pela carreira

    na PMSC, tendo conseguido nela 3 aprovações, para as funções de soldado, cabo e sargento, estando exercendo a função de sargento atualmente.

    Me preparei com os conteúdos básicos sempre com antecedência, me dedicando mais nas matérias específicas quando abria o edital, principalmente nos conteúdos que não era possível prever com antecedência. Consegui me manter motivado através dos conselhos e vendo o sucesso dos outros, principalmente do Evandro e sua equipe de professores, também vendo os resultados vindo com as aprovações.

    Conheci o AlfaCon através de um vídeo do YouTube, onde o Evandro dava uma aula, gostei muito.

    O AlfaCon me ajudou de várias formas, com as ótimas aulas focadas no objetivo, estratégias de estudo, motivação, resumindo me ajudou em tudo.

    Acredito que a ansiedade até atingir o objetivo foi minha maior dificuldade. Porém, mantive a calma e nunca perdi a esperança, pois sabia que a aprovação esperada iria chegar.

    Nos primeiros concursos o nervosismo é inevitável, mas depois de vários realizados consegui manter a tranquilidade na realização das provas, até porque sabia que minha preparação já era boa. Sempre estudei até o último dia, não abrindo mão de uma boa noite de sono no dia anterior, mas sem deixar o estudo de lado.

    O método de estudo e bom material para estudar foi e sempre será a chave para aprovação. No meu caso acredito não ter falhado, pois consegui oq eu queria, ser aprovado em vários concursos, ter hoje um bom salário e a tão sonhada estabilidade.

    Alfartano, estude certo, não desanime que vc vai conseguir sua aprovação, se estudar focado com o Alfacon e fazer tudo o que os professores e o Evandro Guedes mandar, a aprovação virá sem sombra de dúvidas.

    Ler depoimento completo
  • Marlon Santos Polícia Rodoviária Federal 2013
    Marlon santos 04

    Meu nome é Marlon. Tenho 38 anos, formado em Administração e decidi estudar para concurso por estar insatisfeito na antiga profissão, era militar.

    Comecei a estudar assim que me formei na faculdade, final de 2017. Minha rotina era dentro do expediente do quartel e no final do dia, das 18h até 00h. Me dediquei a todas as matérias mas odiava Português e redação. A dedicação era em todas as matérias que estavam nos editais anteriores da PF e PRF. Exatamente todas.

    Eu conciliava estudo com trabalho. Eu conciliava tranquilo mesmo que alguns do meu antigo emprego estivessem na torcida adversária, aquela inveja dos que não tem coragem de enfiar a cara nos cadernos e ainda assim tentam desmoralizar os que se arriscam a alcançar uma vida melhor.

    Estudei, inicialmente, no LFG mas não gostei da didática. Daí resolvi partir pro online e conciliei o AlfaCon com alguns PDFs.

    Nunca estive desmotivado, a cada dia mais motivado, de domingo a domingo, sempre. Quando coloco algo que não seja impossível na cabeça vou até o fim. Sabia que iria passar uma hora ou outra. Demorei, bati na trave todas as vezes mas no final acabei aprovado na PRF e PF. Quase levei o DEPEN também mas como não era meu foco nem estudei a lei de execução penal, logo, zerei na redação.

    Não abdiquei de muitas coisas, afinal sábado a noite tem que relaxar. Abdiquei dos programas toscos da TV(rs...), não assistia nada além do jornal. Passar por toda essa jornada de concurso por desgastante, não é fácil estudar.

    Sou casado, e meus familiares aceitaram e acabei arrastando alguns amigos também, inclusive um deles está comigo na PRF.

    Passei na PF 2014 e PRF 2013. Mas levei apenas a PRF. Treinei com provas da ABIN, Polícia Legislativa do Senado e DEPEN.

    A motivação veio da vontade de passar e melhorar a qualidade de vida. Não me arrependo de ter pertencido às forças armadas mas para mim não dava mais, então está grana me motivou e fez com que estuda-se como doido.

    Conheci o AlfaCon na Internet e, por ser focado na área policial e bem mais objetivo que outros cursos preparatórios, diferente de alguns que “viajavam” nos conteúdos. Existem alguns cursos preparatórios em que os professores não se dão ao trabalho de examinar o edital, verdadeiro caça níquel.

    A maior dificuldade foi reprovar nos primeiros concursos. Desanimava, mas a cada dia do expediente do trabalho antigo vinha uma injeção de ânimo.

    Reprovei 2x na PF e uma bati na trave a PRF, reprovei na ABIN e Polícia Legislativa, todas estas provas eu fazia tenso. Depois disso comecei a pensar “sabe de uma coisa, que se dane tantos candidatos, vou la e fazer a prova e se der deu”, e depois dessa enxugada mental comecei a passar. Fazia a prova tranquilo. Parecia que não tinha compromisso de se aprovado.

    Minha falha foi querer “abraçar o mundo”, estudava coisa além do edital e com material complexo, com livros, etc. As coisas começaram a desenrolar quando segui apenas o que estava no edital. Com caneta marca texto grifava cada conteúdo estudado. Amarela uma passada, verde segunda passada,laranja terceira passada e depois reimprimia o edital e fazia tudo de novo.

    Só é aprovado quem não desiste. Salvo os mega crânios, a grande maioria sente dificuldades. O que não significa que deve desistir. Nunca desistir. Não deu na primeira estude e faça de novo. Não deu na segunda estude aquilo que errou mais do que as matérias que sente facilidade. Não deu tente a terceira, quarta, até ser o candidato mais preparado. Sempre seja humilde, não ache ser o melhor pois vários assim não foram aprovados e fizeram feio, acabando por desistir. Vai na calma, confie nos professores e materiais repassados, não economize com material atualizado(isso que cai) estude como louco que uma hora o sofrimento acaba e a recompensa de tudo isso é gratificante. Lembro do orgulho do meu pai ao avisar que passava nas provas, tanto PRF e PF. Hoje ser policial não é fácil, muitos criticam e não entendem mas, pelo menos para mim, tem sido uma experiência única, gratificante e vibrante. PRF é o melhor lugar para se trabalhar.

    Ler depoimento completo
  • Eduardo Holanda Polícia Rodoviária Federal 2013
    Eduardo holanda

    Alfartano: Meu nome é Eduardo Holanda. Sou de Fortaleza - CE, tenho 29 anos, sou formado em Farmácia. Decidi entrar para o mundo do concurso público para poder satisfazer meus desejos financeiros que o sistema capitalista me sujeita.

    A preparação: Minha preparação foi um pouco atípica, estudei durante 4 meses apenas sem nunca ter lida se quer algo relacionado com matérias envolvendo “DIREITO”. Trabalhava um turno e o resto tempo eu era focado no estudo. Estudava em média de 10 horas por dia. Estudei o início apenas a parte de trânsito, porém aprendi muito rápido e comecei a me dedicar ao direito. Sem muito entender das coisas, até que conheci o Prof. Evandro que pegou um monte de informação que estava solta em minha cabeça e organizou além de ter acrescentado um tanto de conteúdo. Estudava 2 matérias por dia. Tinha um calendário e após os estudos iria para a prática dos exercícios. Assim era minha rotina.

    Trabalhava pela manhã. Pela tarde, noite e madrugada me dedicava aos estudos com uma rápida pausa para dormir. A conciliação advêm da necessidade da mudança.

    Os estudos: Como era iniciante no meio, fiz um curso de vídeo-aula bastante conceituado porém na época acrescentou pouco. Aí comprei mais vídeo aula de outro cursinho que me ajudou. Também adquiri materiais em PDF. No meio para a reta final foi que eu descobri o AlfaCon, no começo da ascensão da empresa. Apenas aprendo as coisas se eu conseguir colocá-las em um papel. Então tudo que eu achava que era importante eu escrevia no meu caderno. Assim no dia da prova, tudo que foi cobrado estava nesse caderno.

    Motivação: Estive sempre focado, digo que pelo pouco tempo em relação a prova eu fui um guerreiro. Não fui fazer para passar porque achava que não ainda estava capacitado, porém minha metodologia de estudo fez com que a prova fosse semelhante a tudo que tinha anotado em meu caderno de estudo. Nunca pensei em desistir nem nada me desmotivou, porque o foco quando existe não há nada que possa abalar. Então a necessidade de mudar de vida, ter um melhor aporte financeiro fez essa minha motivação.

    Dificuldades: Morava já longe da família, apenas com minha esposa, a qual eu tive que deixar de lado por esse tempo. O estudo não dava para conciliar com o casamento. Deixe das baladas, barzinhos e outras diversões. Até porque o tempo não dava. Existia o trabalho além do estudo. Era casado na época e foi de boa com minha esposa. Quanto ao resto da família eu morava longe e ninguém sabia da minha preparação. A maior dificuldade foi curto tempo

    para o dia da prova foi um luta diária para a preparação.

    Para vencer os obstáculos, pensava somente na vontade de vencer.

    O concurso: Nunca tinha feito outro concurso para área policial, a PRF foi o primeiro. Comecei a estudar 10 dias antes do edital abrir. Estudei até o último minuto porque minha preparação foi curta, então não havia tempo para ansiedade e sim aprendizagem.

    O AlfaCon:

    Conheci o AlfaCon pela internet, não lembro bem como. As aulas do Professor Evandro foram fundamentais para eu aprender Direito Penal.

    Alfartano... a persistência leva sempre ao caminho que queremos. Devemos nos abdicar do momento para colher um futuro melhor. A fé e a paciência são coisas importantes. Estude e tenha esse objetivo com a forma de mudar de vida.

    Ler depoimento completo
  • Cristiano Antonio de Souza Polícia Rodoviária Federal 2013
    034 %281%29

    O Alfartano: Meu nome é Cristiano Antonio de Souza. Sou de Maringá/PR, hoje tenho 36 anos e sou formado em Direito e Gestão Pública, estudo pra concurso desde 2004, primeiro fui soldado bombeiro, depois entrei

    para Agente Penitenciário do Paraná, inclusive morei em Cascavel, onde fica uma das sedes do AlfaCon, pois trabalhei na PIC e na PEC.

    A preparação: Para prova objetiva da PRF eu estudei quase 4 anos, pois estudei desde o concurso de 2009 até o de 2013, 2009 eu fiz mais estudei

    somente com edital aberto, daí não deu pra passar. Mas, já vi que fui até mais ou menos bem, foi quando pensei, “opa, estudar adianta” Peguei firme até a prova de 2013. Estudava todos os dias de manhã e à tarde. A noite ia pra faculdade de Direito, além de, ver aulas que ajudava no conteúdo, também resolvia muitas questões na sala de aula, muitas mesmo! Durante a aula ficava no computador respondendo no questões de concursos. Eu trabalhava e estudava, e quando podia, estudava durante o trabalho. Estudei

    muito por livros de doutrina, até acho que demorei

    mais para ficar bom, pois era muito abrangente, mas é isso, muita doutrina, vi também muita aula do Evandro, bastante mesmo, de penal e administrativo, achava muito didática, ele é bem direto, muito bom mesmo. “usei

    muito os puxões de orelha dele, pra estudar”, pensava e falava pros outros”. Preciso melhorar a questão de não estudar tanto as matérias que não era Direito, pois quase não pegava, daí causava mais insegurança. Tenho que rever isso.

    Dificuldades: Não pensei

    em desistir não, apesar do cansaço, pois é difícil mesmo, cansativo. Vontade as vezes ficar o dia todo sossegado, mas não parava não. Foi difícil abdicar de algumas coisas, pois deixava esposa de lado, e no meio do caminho uma filhinha nasceu. Deixava de brincar pra ficar no quarto trancado, mas claro, tinha alguns momentos horas de lazer e às vezes ficava com minha família. Eu em particular, tinha um pensamento, de não estudar aos domingos, esse dia era para família, descansar etc. Salvo se estivesse de plantão, aí lá estudava mesmo sendo domingo, uma vez estava de plantão bem no Natal, e estudei o dia todo.

    Sempre tive apoio da minha família, ninguém distanciou-se de mim.

    Os concursos: Antes da PRF, eu tentei Polícia Federal, mas não lograva êxito pois estudava específico para PRF e não estudava nada de contabilidade, economia etc. Uma vez fiz todas as fases do concurso do TRT para técnico aréa de segurança, em que fiz provas de direção e tal, com uma Van.

    Estudei desde o último concurso, a motivação era porque sabia que uma hora ia ter de novo PRF e porque comecei a sonhar com esse cargo. Inclusive ao final vou contar o que aconteceu, pois ainda não tomei posse, e continuo estudando.

    O AlfaCon: Uma vez encontrei um amigo aqui em Maringá, como trabalhamos juntos, conversamos e eu disse que estudava pra PRF, daí ele disse que dava aula em um cursinho, e me disse o nome e pra procurar na internet, foi aí que procurei e conheci. As aulas e notícias do AlfaCon, me ajudaram muito, pois via muita aula além das minhas leituras, e casa vídeo postado eu estava lá assistindo.

    Ansiedade: Para controlar a ansiedade, potencializei estudo, sempre faço assim, não consigo descansar na véspera, por exemplo no sábado, em que a prova era no domingo, estudei o dia todo lá em Curitiba, tento ver coisa sobre a matéria até no momento ali, anterior a prova. A ansiedade, nem sei, apenas tento não pensar e ficar calmo, mas é dureza.

    Alfartano… estude muito e sonhe!

    Ler depoimento completo
  • Tiago Neves Vanderlei Polícia Rodoviária Federal 2013
    Tiago neves vanderlei02

    O Alfartano: Meu nome é Tiago Neves, tenho 27 anos, sou natural de Brasília/DF. Sou formado em Engenharia Elétrica e decidi estudar para concursos públicos depois de ver que o mercado demoraria muito a me dar um retorno financeiro naquele momento (recém formado).

    A preparação: Me formei no final de 2012 e desde então recebi o apoio dos meus familiares. Me dediquei somente para os concursos públicos, estudava em média 8 a 9 horas por dia, todos os dias da semana. Quando via que estava cansado demais, sai um pouco... mas nada muito agitado. Criei uma rotina boa de estudos. Acordava às 6:30 e ia direto para a academia. Começava a estudar mesmo às 8:00 e parava 12:30. Almoçava e ia tirar um cochilo. Às 14:00 eu começava de novo e só parava às 18:00 quando ia tomar um banho, comer algo e ir para o cursinho presencial que fazia aqui em Brasília.

    Como minha formação não era jurídica tive que estudar matérias como Direito Administrativo e Constitucional do início. Comprei dois livros e comecei. As matérias básicas tive mais facilidade, inclusive em raciocínio lógico, pela minha formação. Assim no final acabei por dedicar mais tempo às matérias específicas, mas nunca negligenciei as básicas.

    Eu apenas estudava para concursos. No entanto para me manter eu fazia alguns projetos que me rendiam algum dinheiro para poder ficar tranquilo e apenas estudando.

    Minha técnica pode parecer meio arcaica, mas comigo funciona. Chama-se Livro (apostila), caderno e caneta. Fazia resumo de tudo. E depois entrava em um site de exercícios e fazia o máximo que dava, depois assistia vídeos no Youtube no canal da alfacon.

    Motivação: DESITIR JAMAIS. Quem era nesse mundo dos concursos públicos não pode desistir. O que existe é uma fila e sua hora vai chegar. Eu sempre lembrava que eu não era melhor que ninguém e ninguém era melhor que eu. Todos somos capazes o que muda é a sua dedicação. Não existe esse negócio de se dedicar

    60%, por que você pode ter certeza que alguém estava se dedicando 70%, outro 80% e eu estava 100%, 99% talvez. rsrsrs. Eu havia entrado no jogo. E quando se entra no jogo é para ganhar. Minha motivação era essa.

    Abrir mão? Com certeza. Na

    verdade que gosta de você e entende seu objetivo não vai te abandonar. Nunca deixei de sair, ir a um aniversário ou uma festa, mas diminuí bastante. Isso vai de cada um saber dosar o seu lazer sem perder o foco no objetivo.

    Apoio da família: Atualmente moro com minha mãe e sou noivo. Todos meus familiares me apoiam nessa rotina de estudos. Inclusive comecei a namorar com minha noiva em um grupo de estudos (pessoas com objetivos parecidos se aproximam). Mas sempre existem aquelas pessoas que se afastam e não entendem o seu objetivo, infelizmente a dica aqui é não se importar e deixe elas acharem que você está errado. O que importa aqui é o que você acha e o que vocÊ quer.

    O mundo dos concursos: Sim, no ano de 2009 fiz meu primeiro concurso público para agente administrativo do DETRAN-DF, fingia que estudava... resultado: Reprovado com louvor. rsrsrs. Estava no meio da faculdade e decidi por estudar para concursos apenas quando formar. Me formei no final de 2012 e comecei a estudar para concursos dia 03/01/2013. Estudei muito, não vou mentir. E os resultados apareceram em menos de 4 meses, passei para Técnico do MPU, alguns ministérios, passei na Objetiva do DEPEN, acho que não estava suficientemente preparado para perito criminal da PF e reprovei, e chegou o concurso da PRF e fui fazer também. No dia seguinte a prova, corrigi e vi que eu havia ido super bem e poderia estar entre os 300 primeiros. Continuei estudando... saiu o edital da PCDF e fiz também. Saiu o resultado da PRF e vi que eu havia ido melhor do que eu esperava, estava entre o 100 primeiros. A fiquei doido. rsrsrs. Nesse meio tempo havia sido nomeado no MPU e começariam as demais etapas do concurso da PRF. Nessa fase tenho que admitir que não conseguia estudar. Era treinando para o TAF, marcando exame

    e tudo mais. Recebi depois o resultado da PCDF e vi também que havia passado entre os 60 primeiros. No entanto o concurso da PRF já estava mais adiantado e resolvi focar mais nele. O ano virou e já era 2014 e em fevereiro

    foi para Florianópolis/SC para o curso de formação da PRF. Assim que o curso acabou fui convocado para o curso da PCDF. Optei por escolher a PCDF por ficar lotado em Brasília/DF, sendo que na PRF poderia ficar no máximo em Goiás. Confesso que pensei muito... mas ficar próximo da família havia pesado mais. Resultado: Hoje sou Escrivão de Polícia da PCDF, e um PRF por consideração e respeito à aquela instituição que me treinou e me fez uma pessoa diferente.

    No entanto minha trajetória de concursos não para por ai. Com a expectativa do Concurso de Perito Criminal da PCDF em 2016 me dediquei muito... Tirei férias, troquei plantões... tudo isso para estudar. E o mais incrível é que o resultado apareceu... 35º lugar, mas por algum deslize reprovei na redação e fiquei de fora. Acho que não era o momento ainda. Não parei de estudar... e hoje comecei uma faculdade de direito e estou me direcionando para outros objetivos (a longo prazo).

    Quando começar a estudar? Eu comecei a estudar assim que formei... peguei os editais antigos e vi o que caia e comecei. A minha motivação era que eu não tinha nada e se quisesse alguma coisa da vida eu teria que estudar, e muito.

    O AlfaCon: Conheci a Alfacon na internet, e passei a seguir a página, tinha uns vídeos no youtube também que eu sempre assistia. O AlfaCon me ajudou muito em uns simulados e aulas que eu fiz na internet. Sempre assistia os vídeos do evandro e ele falando: "Alô você!" Ouso a dizer que teve um simulado que eu fiz que me abriu a mente e me colocou mais atento para estudar. Valeu a pena!

    Obstáculos: Parei para pensar que minha parte eu estava fazendo. Pensei comigo mesmo: Se é para ficar nervoso, ansioso, triste... tenho o direito a tudo isso, mas tenho que fazer isso em cima de um livro e estudando. Não importa!! Nunca pare de estudar.

    Ansiedade: Nos últimos dias eu revisava tudo, lia meus resumos, assistia vídeos curtos, e fazia exercícios. Só deixava para descansar na véspera da prova. Sempre botava na minha cabeça para me acalmar... "Todos são capazes. Não sou melhor que ninguém, e ninguém

    é melhor que eu, mas minha parte eu fiz e estou preparado!" A maior dificuldade foi a ansiedade... Sou uma pessoa naturalmente ansiosa, mas tive que trabalhar isso.

    Efetividade: O que foi efetivo na preparação foi acreditar em mim mesmo... Sempre ajudar o próximo (nunca guarde as informações só para você) o bem sempre volta de onde veio. Seja humilde e acredite: em tudo você pode aprender. Nunca subestime um colega ou um professor, pois sempre, digo sempre, você vai aprender uma coisa nova. Faça uma atividade física para se manter ativo e pensar melhor.

    Acho que uma falha que eu tive e não repetiria era deixar algum dia sem estudar. Devo ter feito isso algumas vezes, e sinto que se a pararmos estamos nos distanciando do nosso objetivo. Mas a disciplina foi maior e eu consegui

    Alfartano… DESISTIR JAMAIS. Se for para desistir nem comece!! Quero te falar meu amigo, que a fase mais difícil do concurso não é a prova. E sim sua determinação e disciplina diária. Você passa em um concurso não é no dia da prova e sim todos os dias. Acredite! Os resultados aparecem, basta você fazer a sua parte. Durma todos os dias com a consciência limpa e sensação de dever cumprido. se isso não está acontecendo,

    mude de postura, de pensamento e principalmente de atitude. Não são todos que estão dispostos a sair da zona de conforto, quando veem o tamanho do desafio, tendem a por obstáculos no início da jornada. É por isso mesmo que poucos chegam lá , porque são poucos que dormem mais tarde pra estudar, poucos que acordam mais cedo pra estudar. VOCÊ FAZ PARTE DE UM SELETO GRUPO!!! A tendência do homem é querer o mais fácil, mas infelizmente o mais fácil de hoje não condiz com as expectativas do preguiçosos, a vida retribui, a energia que você poupa hoje em busca de um vida melhor será gasta em lamentações e arrependimentos por um dia não ter tentado ser mais forte. Aplique sempre o seu melhor, e lembre-se que se esforçar apenas 40%, sempre vai existir alguém investindo 60% a mais que você!

    Ler depoimento completo
  • Luis Eduardo Gomes de Almeida Polícia Rodoviária Federal 2013
    Blank avatar

    O Alfartano: Meu nome é Luis Eduardo Gomes de Almeida. Sou natural de Nilópolis- RJ, atualmente resido em São José dos Campos- SP. Sirvo na Força Aérea Brasileira- Centro de Tecnologia Aeroespacial (CTA), como 2º Sargento, tenho 35 anos e sou formado em Licenciatura em Matemática, cursei os dois anos iniciais na Universidade Estadual de SP (Unesp) e concluí meu curso pela UNISUL na modalidade à distância com bolsa integral pelo PROUNI. Antes, achei que passar para Escola de Especialista de Aeronáutica (Eear) estaria realizando meu sonho, mas devido a baixa remuneração que atualmente recebo e a falta de oportunidade de crescimento que a própria estrutura da carreira não proporciona, por essa razão, com a orientação de Deus, resolvi embarcar na vida dos concursos públicos, batalha que ainda vou comemorar a vitória.

    O início: Confesso que a primeira orientação que tive foi em alguns aulões Free ofertados pelo AlfaCon, pelo professor Evandro Guedes, sempre me

    dediquei as disciplinas que tenho um pouco mais de dificuldades, como Língua Portuguesa e Noções de Informática. O tempo que levei para ser aprovado na PRF 2013, NÃO tenho como estimar exatamente, pois isso foi fruto também da minha preparação para o concurso que atualmente exerço o cargo. Comecei a estudar em 2003 para Eear e fui aprovado em 2004, fiz o curso de formação durante 18 meses, depois entrei para faculdade em 2007, nesse período cheguei a fazer alguns concursos para tribunais, sem dedicação exclusiva, porque estava fazendo faculdade junto. Terminei meu curso em 2012. Então a partir daí, resolvi me preparar para PRF, tive a oportunidade de conhecer o curso AlfaCon procurando vídeo aula de atualidades no Youtube. O tempo de preparação específica para PRF 2013 foi de aproximadamente 7 meses, entretanto já vinha estudando algumas matérias relacionadas. Concilio estudo com trabalho atenção para família. Estudo nas horas vagas e quando chego em casa.

    Motivação: Sim, tenho uma vontade muito grande de conquistar o cargo que proporcione uma remuneração que atenda minha expectativas de vida. Nunca pensei em desistir, mas fiquei um pouco decepcionado por não ter conseguido passar no teste físico da PRF 2013, concurso que me deu “sangue nos olhos” quando vi o edital aberto no site do PCICONCURSOS. Graças a Deus, dei a “volta por cima” e não parei de estudar.

    Abdicar...Tenho uma esposa e uma filha que estão sempre ao meu lado, pais, irmãos e as amizades estão no RJ, por isso não enfrento muita dificuldade para estudar. O mais difícil ,confesso que são os finais de semana que sempre surgem os churrascos com aquela cerveja gelada, mas

    quando tenho qualquer programação, acordo mais cedo para não perder o dia completo de estudo. Minha esposa e filha entendem completamente, mesmo porque já acostumei ela desde quando casamos o mais difícil e não participar muito das brincadeiras da minha filha.

    Outros concursos: O que eu quero é a PRF, mas tenho afinidade

    com

    o cargo de Técnico Judiciário- Segurança e Transporte que sempre que tenho oportunidade faço. Também fui aprovado e classificado para inspetor de segurança da Câmara Municipal do Rio de Janeiro em 2015, mas acho que não devo ser chamado, por causa do número de vagas.

    O AlfaCon: Conheci o AlfaCon por meio do canal do YOUTUBE, procurando vídeo aula de atualidades, então percebi que a equipe de vocês é excelente.

    O AlfaCon me auxiliou com vídeo aulas, simulados gratuitos e as aulas Free com Evando, Chê e outros participantes, confesso que os caras ejetam adrenalina motivando qualquer guerreiro a não desistir dos seus sonhos, dando muita força!

    Mensagem ao concurseiro: Eu não conquistei minha vitória, mas ela está por vir. Então eu diria que as dificuldades induzem ao desafio e a dedicação ao caminho da vitória.

    Ler depoimento completo
  • Thiago Campos Polícia Rodoviária Federal 2013
    Thiago campos

    Meu nome é Thiago Campos, sou natural de Medianeira, Paraná. Tenho 30 anos e minha formação é Farmacêutico Bioquímico. Resolvi estudar para concurso pois, na verdade, ser policial é um sonho antigo, meus estudos sempre foram direcionados para essa área.

    Os estudos: Comecei estudar em janeiro de 2011, conquistei a aprovação em agosto de 2013. Comecei com um curso preparatório durante o período da noite, foram 6 meses (conciliava trabalho e estudo), depois me dediquei por 7 meses em tempo integral aos estudos, em casa, estudei por livros e resumos e muita questão (período que vendi meu carro para poder ficar esse período sem trabalhar), finalmente o restante do período foi conciliando trabalho e estudo, estudava de segunda a sexta, 4 horas por noite, sábado dois períodos (tarde e noite) e domingo dois períodos (manhã e tarde), separava o domingo para simulados e redação. Dividia o tempo por igual para as matérias (tendo por base o edital de APF).

    Comecei a preparação com um curso preparatório para agente da PF, depois adquiri alguns livros (da área de direito) e conciliava o estudo com matérias do ALFACON e Euvoupassar, além de muitas questões de concurso. Assim consegui todo material que precisava para abranger todo edital.

    Falhas na preparação: Muitas falhas com certeza. Muito tempo perdido estudando errado, estudando mais que o edital pedia, esquecendo de ler a lei seca, fazendo poucos exercícios.

    Motivação: Estar motivado o tempo todo é impossível, conciliar a vida profissional, pessoal e estar focado em alcançar a aprovação não é tarefa fácil, primeiro porque você tem que abrir mão do convívio dos familiares e amigos, do lazer, pois todo tempo disponível deverá ser utilizado para o estudo. Quando a aprovação não vem, a ideia de desistir sempre vem a mente, você pensa em todo esforço, todo sacrifício e se pergunta se valeu a pena. Mas ai você lembra do quanto quer um trabalho melhor, que seja gratificante, que além do salário te faça levantar motivado para ir trabalhar e recomeça!

    Abdicar é necessário? Festas e churrascos com amigos não existiram nesse período, formaturas e casamentos também não. Cada hora de sono era fundamental entre acordar disposto para estudar no domingo ou perder um período valioso de estudo. VocÊ faz a escolha, e arca com as consequências. Conheci muitas pessoas que queriam passar em concurso, mas não queriam abrir mão de nada. Não se pode ter tudo, é preciso priorizar e ter foco. A diferença está no resultado.

    Apoio: Sou casado, minha esposa esteve comigo, estudando junto, um apoiando o outro nesse período, isso fez toda diferença, deixamos de aproveitar muita coisa nesse período, mas hoje somos servidores do executivo federal e não nos arrependemos das escolhas feitas. E depois do objetivo alcançado é vida normal, os amigos a família, todos que se importam com você e respeitam a decisão entendem o quanto é difícil e o que é necessário para realizar esse sonho.

    O concurso: Já fiz 09 concursos, sendo aprovado em três, toda prova é válida, serve de experiência para controle de nervosismo, desenvolver estratégia de prova, organização, tempo. Tudo contribuiu para o resultado final.

    A prova: A preparação tem que ser contínua, estudar só quando o edital está aberto é arriscado, o fato de eu não ter parado de estudar me manteve preparado. A questão da motivação é a “querência”, é a vontade de mudar de vida!

    O AlfaCon: Conheci o AlfaCon pelo Internet. Comprei alguns cursos em vídeo aula, apostila para PM/PR e um curso de simulado.

    Dificuldades: O mais difícil é vencer o cansaço e continuar evoluindo nos estudos, sempre saindo da zona de conforto e buscando qualidade no aprendizado. Identificar minhas dificuldades e elaborar estratégias de estudo. Algumas matérias aprendia melhor com vídeo aluas, outras com livros e ainda tinha aquelas que eram apenas com exercícios.

    Ansiedade:

    Mantive minha rotina normal, o nervosismo foi diminuindo com a experiência adquirida.

    Alfartanos, não desistam! Esse período como concurseiro parece inacabável e muito duro, mas ver seu nome no diário oficial faz você entender como tudo isso valeu a pena. E nunca duvide, você vai conseguir. Não é “se”, mas “quando”. Se você se dedicar e seguir à risca as dicas valiosas que o pessoal do ALFACON passa será questão de tempo até ver seu nome entre os aprovados!

    Ler depoimento completo
  • Luiz Henrique Dsiedzic Soares Polícia Rodoviária Federal 2013
    Luiz henrique dziedzic 01

    Depois de todas as etapas vencidas (Prova objetiva, Redação, TAF, Exame Médico, Psicológico) finalmente posso falar que estou aprovado na Polícia Rodoviária Federal. Todos sabemos que a caminhada até a aprovação de um concurso público é complicada, e com certeza a minha não foi diferente. Sempre fui apaixonado pela área policial, tendo em mente ser um Policial Federal ou Policial Rodoviário Federal. Com o passar do tempo fui me identificando com a PRF, e tudo deu certo para que eu a escolhesse. Estou me formando agora (faço Ed. Física na Universidade Estadual de Maringá), e no meu último ano de faculdade, prestes a pegar o diploma de ensino superior exigido para ser Agente da PRF, surgiram, no começo do ano, os fortes indícios sobre o “possível” concurso.

    Eu sabia que a caminhada não iria ser fácil. Levar faculdade, sem nunca ter relado a mão em um material de Direito, sabia que ia ser um desafio e me exigiria muitas horas diárias de estudo para eu conseguir o êxito. Muitas pessoas, como sempre, falando: “Luiz, você só tem 21 anos, tem muito tempo pela frente, aproveita a vida, estuda pra concurso depois que se formar, acha que é fácil passar em um concurso de nível federal e superior?”. Eu ignorava, absorvia apenas as palavras de apoio, de meus pais, familiares e amigos que acreditava em mim.

    Meus estudos começaram em Março de 2013, assistindo um aulão da PM-PR pelo Alfa, o melhor professor de Direito Administrativo do Brasil, Evandro Guedes, soltou um cupom de 50% de desconto para qualquer curso. Na hora eu peguei e não pensei duas vezes, fui e comprei o pacote da PRF. A partir daí foram 5 meses de estudos e mais estudos. Perdi as contas de quantas madrugadas eu passei em claro, tomando café pra ficar acordado e estudando, e quando via já eram 7 horas da manhã. Outra coisa que merece destaque é que o concurso público não te dá só um cargo, ele também te dá amigos. Ter um parceiro que tenha o mesmo objetivo que você é essencial, e meu amigo Diego (também aprovado) foi esse parceiro que estava ali do lado incentivando, mesmo morando em Curitiba, me apoiava diariamente nos estudos, um dava força para o outro, o que com certeza foi de extrema importância, além do meu amigo Bruno (também aprovado), presente em todas as outras fases do concurso, sempre acreditando e dizendo que esse concurso era nosso. Um fator, a meu ver, decisivo para uma aprovação é a metodologia de estudo usada pelo concurseiro, e a minha foi a seguinte: Curso em vídeo-aulas pra pegar a base, sempre fazendo resumos, e principalmente na reta final da preparação realizar muitos exercícios da banca. Ainda mais no meu caso, em que eu não poderia perder tempo, pois estava correndo contra o tempo pra conseguir estudar toda a matéria do Edital, haja visto que eu não tinha conhecimento de muitas matérias ali presentes.

    Quando chegou dia 11 de agosto, dia da prova, estava tranquilo, confiante que eu tinha feio meu melhor e estava preparado. Sai da prova com a certeza de que seria aprovado. O gabarito preliminar só veio para confirmar. 79 pontos pelo gabarito do Alfa (77 pontos no definitivo) me deixaram tranquilo, esperando pela nota da Redação. Após a aprovação, várias outras etapas vieram. Sempre tive os pés no chão, sempre confiando que eu passaria, mas nunca comemorando antes da hora. E hoje o fruto de todas as coisas que me privei de fazer durante esses meses chegou. Meu sonho está se realizando, com 22 anos estou me tornando Policial Rodoviário Federal. Agradeço imensamente a todos os professores que eu tive, a equipe do AlfaCon, que não ensina somente a matéria, ele ensina como se comportar diante de um concurso em si. Não tem segredo, quer ser aprovado em Concurso Público? Foco, Auto Confiança, Fé e Dedicação! E como diz o Evandro: “Estude, pois a caneta é mais leve que a pá, filho.” Rs

    Obrigado pela oportunidade, e sucesso a todos!”

    Ler depoimento completo