0
Carregando...

Logo alfacon Alunos Aprovados

Estude com quem mais aprova!

  • 1/3 dos aprovados na Polícia Federal são Alfartanos!
  • 1º lugar nacional na Polícia Rodoviária Federal é Alfartano!
  • 1º colocado no DEPEN é Alfartano!
  • 662 aprovados no INSS são Alfartanos!
  • Mais de 400 aprovados no TJ PR são Alfartanos!

Faça parte dos mais de 50.000 alunos aprovados!

Evandro 01
  • Deise Loreto Polícia Civil Pernambuco
    Mqdefault
  • Alexandra DEPEN 2015
    Mqdefault
  • Lais Polícia Civil Pará 2016
    Mqdefault
  • Evanildo Agente Polícia Federal 2014
    Mqdefault
  • Rodrigo Hueiber Salazar Rodrigues Susepe - RS 2017
    Img 20160505 wa0042

    Meu nome é Rodrigo Hueiber Salazar Rodrigues, tenho 37 anos, moro em Contagem-MG, e fui aprovado no concurso da Susepe-RS.

    Sou formado em Administração de Empresas, e comecei a estudar para concurso público por conta da estabilidade. Venho estudando a aproximadamente 3 anos, durante esse período conquistei algumas aprovações, a da Susepe é a sexta aprovação.

    Tenho facilidade com as matérias de Direito e RLM, por conta disso dedico um tempo maior para Português e Informática. Sempre conciliei trabalho com estudo. Acordava mais cedo, estudava até a hora de ir trabalhar. Estudava no serviço e também quando chegava em casa até tarde. No início tive grandes dificuldades em achar bons materiais. No início a gente a bate a cabeça com materiais de pouca qualidade, até que conheci o AlfaCon. Desde de então, só estudo com materiais do AlfaCon.

    Não estive motivado durante todo o período, pois as vezes bate um cansaço, a família precisa de atenção. Filhos pequenos e esposa querem estar junto. Abri mão e abdiquei de muita coisa. Sempre pratiquei muito exercício e joguei futebol, e durante esse período de estudos abri mão de tudo.

    Sou casado e minha esposa aceita essa rotina e me ajuda bastante, me dando suporte com todas outras coisas de casa e filhos para que eu possa me dedicar integralmente.

    Sempre faço provas na área policial para que eu possa estar treinando. A primeira vez que estudei foi com o edital aberto, a parti de então venho mantendo os estudos quando abre um edital que me interesso, apenas faço adaptações, como no concurso da Susepe.

    Conheci o AlfaCon na internet, e sempre me ajudaram muito com materiais e aulas de qualidade. Não possuo uma técnica específica, eu apenas leio bastante, faço exercícios e assisto aulas. Não acho que exista uma fórmula específica.

    A maior dificuldade foi “abandonar” a família, mas para superar eu pensava sempre neles e no futuro melhor que poderia proporcioná-los. Quando a prova se aproxima é engraçado, sempre acho que não estudei o suficiente e com isso quero estudar todo o conteúdo de novo. Como não é possível, durante os estudos costumo marcar as matérias que tenho um pouco mais de dificuldade. Nos últimos 10 dias procuro apenas rever esse material, mas no dia antes da prova não estudo, procuro descansar e relaxar.

    Sempre acho que estou falhando em alguma coisa. O que eu acredito muito na minha preparação é estar sempre lendo o material, assistindo aula e nos meus trajetos casa, trabalho, casa sempre estou vendo ou lendo algo. Acabo aprendendo por insistência.

    Não desistam nunca. O esforço é enorme, mas a gratificação de ver o nome no diário oficial é maior ainda, muito gratificante.

    Ler depoimento completo
  • Janser Franciel Philippsen Susepe - RS 2017
    Blank avatar

    Meu nome é Janser Franciel Philippsen, tenho 23 anos e moro em Santo Cristo/Rio Grande do Sul SUSEPE. Possuo bacharel em Direito, e decidi estudar para concurso público por conta da estabilidade, remuneração e qualidade de vida.

    Para este concurso não estudei nada em específico. Contudo, venho estudando para concursos há cerca de 1 ano. Costumo estudar em torno de 3 ou 4 horas diárias. Conciliava os estudos com a faculdade, mas abdiquei do trabalho que exercia para me dedicar integralmente aos estudos.

    Sempre estudei com os melhores materiais, ou seja, com os disponibilizados pelo AlfaCon.

    O cansaço em conluio com algumas reprovações leva à desmotivação. Pensei em desistir, mas não deixei que este pensamento se concretizasse. O que me manteve e ainda mantém motivado é a certeza de que um futuro brilhante está a nossa espera, basta fazer a nossa parte. Como efeito, sabe-se que toda escolha importa em diversas renúncias. Estudos para concurso não é diferente, aliás está diretamente vinculada. O meu caso, que não deve ser diferente dos demais, foi de inúmeras abdicações. A vida social é prejudicada substancialmente.

    É muito difícil os amigos e alguns familiares entender a rotina de estudos para concurso. Só quem passa por isso tem conhecimento da dificuldade, mas de forma geral sempre tive apoio de todos, com algumas exceções, é claro.

    Tentei outros concursos, obtive aprovação no exame da OAB, técnico do INSS (embora não dentro do número de vagas). Para este concurso, como relatei, não estudei nem quando abriu o edital, mas o que me salvou foram os estudos anteriores.

    Conheço o AlfaCon de longa data, mas acredito que tenha sido pela internet. O AlfaCon me auxiliou com seus excelentes materiais que são de fácil entendimento, objetivos e o que estão neles irá cair na prova, pode acreditar. O Evandro Guedes além de ser um exímio professor, me ajudou e ajuda com sua motivação e dicas para concurso. Um salve para você, meu caro. Muito obrigado!

    Minhas técnicas são muito estudo, revisão e questões. As maiores dificuldades foram as constantes abdicações.

    Mas superei com uma meta definida, foco e a certeza de que o esforço seria recompensado.

    Antes da prova costumo apenas revisar. Acredito que o que me ajudou em minha aprovação foi o acúmulo de conhecimento tanto em relação a conteúdo como em relação a técnicas de estudo. Claro que houve falhas e a principal diz respeito a organização nos estudos. Porém, mantenha-se firme, focado, centrado, você é capaz, basta persistir. O sucesso é o resultado lógico de seu esforço. Em um futuro muito próximo você será reconhecido e recompensado por todo o esforço realizado.

    Ler depoimento completo
  • Paula Lopes Salvador Susepe - RS 2017
    11695737 482490671906281 1278817520986874598 n

    Meu nome é Paula Lopes Salvador, tenho 34 anos, sou de Pelotas-RS e sou formada em Letras. Sempre procurei estabilidade para conseguir ter a vida que almejei. A minha preparação foi a parte mais importante e aguerrida da minha luta. Optei por sair de um emprego e trabalhar somente pela manhã, diminuindo MUITO a minha renda, para conseguir ter mais tempo para estudar. Trabalhava das 08 ao 12. Das 14 as 22 horas estudava fielmente, todos os dias. Meu material era completo! Procurei inúmeros cursos até encontrar o AlfaCon. Inclusive adquiri um outro antes de encontrar o Alfa e pedi a devolução do dinheiro, pela insatisfação, visto que precisava de um curso completo e que, ao mesmo tempo, me trouxesse motivação. E as aulas do Evandro, principalmente, me faziam ir com garra ao meu objetivo final.

    O que me motivou e muito, além da minha história de vida, foram as aulas, o incentivo do professor Evandro, em jamais desistir, mesmo quando estivéssemos exaustos! Muitas vezes, chorava na frente do computador, achando que não conseguiria, terminei meu namoro, visto que meu namorado morava na capital do RS e eu no interior e com meu orçamento reduzido, por optar por trabalhar somente pela manhã, para me dedicar aos estudos, ficou impossível de nos vermos, e acabou desandando a relação. Hoje vejo que quem eu precisava, realmente estava ao meu lado, minha mãe. Hoje vejo que todo o esforço valeu a pena e o único arrependimento que tenho é de não ter me preparado mais jovem. Minha mãe arcou com 90% das minhas despesas.

    Comecei a estudar antes do edital abrir, em junho eu dava início aos estudos, com o friozinho na barriga, ouvindo de muitas pessoas que o mesmo não sairia. Mas não desisti.

    Conheci o AlfaCon pela internet. Me encantei e me inspirei com a história do professor Evandro, assim como as aulas dos demais professores. As aulas sempre muito claras e objetivas.

    Minha técnica era assistir às aulas e ao mesmo tempo fazer resumos e simulados. Assistia às aulas mais de uma vez, procurava mais simulados, colava cartazes pelo quarto. Na verdade, achei a prova bastante difícil e fiz com muita calma, tanto que faltou tempo e tive de correr para terminar as últimas questões. Dei uma lida antes da prova, mas nada de querer aprender algo. Afinal, o conhecimento se adquire dia a dia.

    O que foi de extrema importância para minha aprovação foram as aulas e simulados. Eu estava numa fase de término de relação conturbada, isso me prejudicou e também o fato de não estar conseguindo arcar com minhas finanças.

    NUNCA pensem em desistir! Sei de pessoas, até muito próximas de mim que não acreditavam na minha aprovação. O que fiz? Lutei!

    Ler depoimento completo
  • Márcio Barbo da Silveira Susepe - RS 2017
    Blank avatar

    Meu nome é Márcio Barbo da Silveira, tenho 24 anos, fui aprovado no concurso da Susepe-RS e moro em Canoas-RS. Decidi estudar para concursos públicos porque a ideia da estabilidade, boa remuneração e possibilidade de crescimento profissional me atraiu muito, ainda mais se tratando das carreiras policiais, que, sem dúvidas, é um sonho que tenho desde criança.

    O total de tempo de estudo foi cerca de 3 anos. Como estava me formando no ensino superior, decidi ir em busca do meu sonho, que sempre foi entrar para as carreiras policiais, então comecei a focar nessa carreira, e assim que saiu o edital da Susepe com suas 406 vagas, fiquei empolgadíssimo, foquei nas matérias específicas que o edital trouxe. No entanto, a prova veio de uma maneira que ninguém esperava, confesso que saí com a sensação de que havia sido reprovado. Mas quando saiu o resultado, fiquei muito feliz, abri muitas vezes o D.O.E no dia em que saiu a classificação, só para ter certeza de que meu nome ainda estava lá.

    Eu conciliava os estudos com o trabalho, estudava à noite e trabalhava durante o dia. Estudei através de vídeo-aulas e PDF’s, os quais foram indispensáveis para minha aprovação, e, principalmente, muita leitura da lei seca, dica que todos os professores dão e muitas vezes não é levada a sério. Confesso que no meio da caminhada pensei em desistir por diversas vezes, no entanto, foram os meus amigos e, principalmente, meu irmão, que não deixaram isso acontecer, pois chega uma hora que todo concursando pensa se as pessoas aprovadas em concursos são realmente reais, pois você estuda, estuda, estuda e fica muito frustrado quando não obtém o resultado que esperava, mas é necessário manter o pensamento positivo.

    No começo é complicado, pois você tem que abrir mão de muita coisa, perdi diversos amigos ao longo da caminhada, pois eles me chamavam para sair e eu dizia que não, porque precisava estudar, então eu não ia, recusei muitas festas, churrascadas, etc, para atingir meus objetivos, no entanto, para todo bônus há um ônus, mas foi bom para ver quem realmente acreditava em você, pois aqueles que acreditaram não só viram os resultados, como compartilharam comigo a ideia de entrar nesse mundo, que não é fácil, mas também é compensador.

    Moro com os meus pais e tenho uma namorada, eles foram de suma importância para que essa realização fosse possível, a cada queda meus pais me davam muito apoio, dizendo que minha hora chegaria, que tudo ficaria bem, minha namorada então, nem se fala, sempre me apoiando, agradeço muito a ela por não ter abandonado o barco, hoje partilhamos juntos de nossas conquistas, é como diz o Evandro, por trás de cada vencedor há uma grande mulher.

    Minha experiência com concursos ao longo desses 3 anos foi grande até, fiz algo em torno de 10 concursos, mas todos sabemos que reprovar é a regra, a aprovação precisa ser em 1 apenas, mas será esse 1 que fará com que todo o caminho percorrido tenha valido a pena.

    Comecei a estudar sem edital, pois estudar com edital aberto é muito difícil que se consiga lograr êxito, o que me mantinha motivado era saber que uma hora sairia o edital, e quando isso acontecesse, pouquíssimos estariam preparados para a prova, a vitória é feita dia após dia, está nos detalhes.

    Conheci o AlfaCon buscando motivação para estudar para concursos, então assisti a um vídeo do Thállius e do Evandro falando sobre concursos públicos e me identifiquei muito com a ideia deles, comprei a ideia e fui com o AlfaCon até a aprovação. Alfartanos forçaaaa!

    O AlfaCon me ajudou muito porque foi com eles que adquiri toda minha base para a aprovação, principalmente com sua didática e seus PDF’s incríveis, que continham simplesmente tudo na medida certa, nada fora do previsto, indo sempre no cerne das questões. Além disso o Qstão me ajudou demais na minha preparação, tanto com os simulados quanto com as questões comentadas em vídeo. Além de revisá-lo sempre após as aulas, eu fazia muitas questões, isso foi fundamental para minha aprovação, pois não há vitória sem que antes tenha havido muito treino, então após a revisão do conteúdo dado em aula, fazia em média 100 questões/dia para massificar o conteúdo.

    Minha maior dificuldade foi a ansiedade, ficava muito ansioso nos dias que antecediam as provas, isso foi sendo trabalhado ao longo do tempo, como diz o Thállius, com o passar do tempo vamos ficando mais cascudos e vamos aprendendo a lidar com nossos erros. Trabalhei em cima disso através de treinamento físico principalmente, também assistia muitos vídeos motivacionais, principalmente os do Vida no Presencial, pois as histórias são incríveis e ajudam muito para ficar mais tranquilo e saber que sua hora vai chegar. Também intensificava os estudos, principalmente na última semana, esse negócio de não estudar na véspera do concurso acho balela, pois estudei na véspera e ganhei 2 questões graças à revisão que fiz, mas creio que cada um tenha seu jeito de relaxar nos momentos que antecedem a prova.

    A efetividade da minha aprovação veio depois de aprender que tinha que dar valor ao estudo da lei seca, pois muitas provas cobram a letra fria, e quando você aprende que deve lê-la, o estudo dá um salto imenso, falhei nesse quesito no começo, mas depois de algumas reprovações, vi o quão essencial era fazê-lo.

    Não desistam jamais, pois aquele que desiste não dá espaço para a vitória, cada um tem seu tempo, você só tem que saber que um dia chegará o seu, a alegria de ver o nome na lista dos aprovados é indescritível, e lhes afirmo, quando o virem, pensarão que o esforço feito até então, é nada perto da sensação de estarem vendo seus nomes ali.

    Ler depoimento completo
  • Paulo Henrique Marciel Souza Polícia Militar Goiás 2017
    Gravatar

    Meu nome é Paulo Henrique Marciel Souza, moro em Bom Jardim de Goias e tenho 19 anos. Possuo formação em Gestão em Segurança Privada e decidi estudar para concurso público por ser algo que é para vida toda, carreira de vida e estabilidade, mas minha meta é PRF ou PF, quero ir além de um Policial Militar, porém tudo começa de baixo, então vamos subir degrau por degrau.

    Estudei muito tempo, apenas uns 3 meses antes da prova, porém peguei firme mesmo no último mês estudando todo dia na parte da manhã até a noite, parando apenas para comer. Estudei apenas as matérias especificas focando nas que estava tendo mais dificuldade, que seria Direito Administrativo. Estudei bastante também pelo amor que adquiri pelas matérias de Direito Penal e Constitucional por conta dos professores Adriane Fauth e o professor Evandro Guedes.

    Não estava trabalhando, estava só por conta dos estudos, por esse motivo acho que meu desempenho na prova deveria ter sido melhor.

    Consegui comprar a apostila do AlfaCon da PM-GO, estudei por ela e pelos vídeos no YouTube do AlfaCon. Como era meu primeiro concurso não sabia direito como estudar, nem de quais materiais precisava, mas no fim deu tudo certo. Durante todo o período estive motivado, pois sempre quis seguir carreiras policiais, as vezes acordava com preguiça de estudar, mas lembrava que a prova estava chegando, e me sentia obrigado a passar, pois tinha na cabeça que minha vida de verdade só começaria após passar nesse concurso.

    Abri mão de muita coisa mesmo, parei de sair, de beber, jogar bola, que é algo que gosto muito. Afastei de todos os amigos, apenas consegui conciliar meu relacionamento pois minha namorada estava estudando comigo e me dando força sempre.

    Eu namoro e moro com meus pais, todos me apoiaram inclusive minha namorada até estudou junto comigo com a intensão de passar também, porém não conseguiu, mas isso não a desmotivou, vai continuar tentando. Alguns amigos acabaram se afastando um pouco.

    Além de tudo meu pai por ser Policial Militar me deu muita força também.

    As únicas provas que tinha feito em maior nível foi ENEM, este foi o meu primeiro concurso e apenas comecei quando abriu o edital, pois surgiu este curso de Gestão em Segurança Privada que me fornecia condições de prestar o concurso, porque antes disso eu não tinha graduação necessária.

    Conheci o AlfaCon na internet, procurando vídeo-aulas para estudar, então achei um vídeo de direito penal do Evandro Guedes e adorei, então pesquisei por mais vídeos do AlfaCon. O AlfaCon me ajudou de todas as formas, com material, motivação e suporte de estudos.

    Minha técnica de estudo é apenas leitura, o que acho importante transcrevo, e resolvo bastante questões, sempre as corrigindo para saber onde estou errando.

    Minha maior dificuldade foi ficar sem trabalhar e dentro de casa o tempo todo.

    Mas procurava fazer com que o tempo passasse mais rápido possível, então eu estudava bastante e procurava me interessar pelas matérias.

    Quando a prova se aproximou, potencializei os estudos, um pouco ansioso, mas não nervoso. Sempre fui muito calmo em questões de prova, acho que por isso me saia bem.

    Acredito que pelo tempo que tinha livre poderia ter estudado mais e tirado uma nota mais alta. Mas não desistam, estudem bastante, tenham foco força e fé. E lembrem do que o nosso professor Evandro Guedes diz "Pensar alto e pensar baixo dá o mesmo trabalho, então vamos pensar alto". Mesmo que venha as dificuldades do dia a dia, passe por cima delas que no fim do túnel sempre haverá uma luz para te acolher.

    Ler depoimento completo
  • João Fellipe Mota Rodrigues Polícia Militar Goiás 2017
    13268275 635420603276620 3982214128614198137 o

    Meu nome é João Fellipe Mota Rodrigues, sou de Turvânia-Goiás e sou formado em Gestão em Segurança Pública e Privada. Comecei a estudar para concurso público quando eu percebi que é a única forma de conquistar um futuro melhor. Eu estudo desde setembro de 2016, inicialmente para a PC-GO, um amigo me passou algumas vídeo-aulas antigas de 2012 que ele tinha em um HD e foi assim que eu conheci o AlfaCon. Logo eu comprei um curso online atualizado e próprio para a Polícia Civil. Minha rotina era uma bagunça eu esgotava matérias, não tinha material didático, e assim obtive a minha primeira reprovação na PC-GO. Após assistir o "como estudar para concursos públicos" eu vi que tinha algo errado e assim passei a ouvir os professores e percebi uma melhora significativa nos estudos.

    A minha deixa para começar a estudar para concurso foi a minha primeira demissão, e para mim foi a melhor coisa que poderia ter acontecido pois facilitou muito o meu estudo. Eu passo o dia todo estudando e para obter a minha aprovação percebi que tinha de abdicar de muitos lazeres, não é uma tarefa fácil mas sei que é necessário.

    Sempre estudei com o AlfaCon. Todos os meus materiais didáticos são do AlfaCon inclusive o curso online, e tenho que agradecer pois sei que sem o suporte que vocês dão minha aprovação estaria longe de acontecer. Após as minhas primeiras reprovações pensei em desistir, mas foi por um só momento, pois o professor Evandro Guedes ensinou que para estudar para concursos devemos queimar os nossos barcos e eu queimei o meu.

    Abdiquei de muita coisa, como Facebook, WhatsApp, vida social. Eu sei que a minha vida de concurseiro está apenas começando, a PM-GO é apenas um começo para que eu possa me preparar melhor para os grandes concursos que sempre estão aí PF, PRF, DEPEN. Perdi muitos "amigos" desde que eu comecei a estudar, mas meus pais me apoiam muito pois sabem a importância do estudo.

    Reprovei na PC-GO e no concurso do CBM-GO, mas para mim as experiências que eu obtive com eles foram muito importantes. Comecei a estudar (errado) com o edital da PC-GO prestes a abrir e desde então não parei até chegar no dia da minha aprovação na PM-GO.

    Conheci o AlfaCon através de um amigo. O AlfaCon foi essencial para a minha organização. E também no material didático que é o melhor.

    A minha técnica é ouvir os professores. No curso eles sempre dizem onde é o lugar de decorar e onde é o lugar de entender. A maior dificuldade é o medo de nunca conseguir ser aprovado. Mas superei esse medo com motivação, sem dúvidas. A motivação é algo interna e muito forte quem tem pode chegar em qualquer lugar.

    Nos últimos momentos antes da prova bate uma ansiedade muito forte. Mas eu sabendo disso tinha meu caderno para cada matéria e meus resumos então na última semana eu foquei nisso.

    Queria ter tido mais tempo para estudar, acredito que eu comecei meio que em cima da hora. Se eu tivesse começado antes teria tirado uma nota melhor e estaria encaminhado para os próximos concursos de nível federal que virão.

    Mas não desistam. O caminho é sofrido, mas com esforço e força de vontade no final dá tudo certo. E não tem coisa melhor do que ver seu nome entre os 10. Realmente é uma sensação muito gratificante. Alfartanos, força!

    Ler depoimento completo
  • Fernando Caldas Oliveira TRE - SP 2017
    Gravatar

    Meu nome é Fernando Caldas Oliveira, sou de Mauá-SP, tenho 27 anos e sou formado em Ciências e Tecnologia.

    Comecei a estudar para concurso por alguns motivos como: Método de seleção, pois sinto mais facilidade em estudar um determinado assunto, trabalhando sozinho, afim de realizar uma prova. Maiores salários, dispensa maiores detalhes. Estabilidade. Ambiente de trabalho mais saudável para o funcionário, minha experiência na iniciativa privada mostrou um ambiente que pressiona o funcionário além do limite por resultados, talvez não seja a regra, mas foi a experiência que tive.

    Minha preparação para a prova do TRE passou por altos e baixos. Comecei a estudar no final de 2015, de modo bem lento, comprei o curso anual das Carreiras de Tribunal do AlfaCon e via as vídeo-aulas das matérias que poderiam cair na prova do TRE, talvez umas 3 aulas de 30 min por dia, após voltar do meu trabalho. Logo em seguida alguns editais tiraram o meu foco, abriu concurso para o TRF 3ª região e um cargo de nível superior da AMLURB, passei a estudar para esses. Porém em março de 2016 saiu minha nomeação para o cargo de Escrevente Judiciário do TJ/SP, concurso que fiz no fim de 2014, isso tirou tanto minha atenção que nem fiz as provas do TRF e AMLURB (me arrependo até hoje).

    Com um tempo trabalhando no TJ vi que queria um cargo melhor e ao sair o Edital do TER-SP voltei a focar no TRE, nesse momento já tinha visto as vídeo-aulas das principais matérias, decidi focar em exercícios e mais exercícios, principalmente dos conhecimentos específicos onde 3 matérias correspondiam a 40 questões com peso 3. Segui nesse ritmo estudando 2 horas líquidas (contadas no cronômetro) de segunda a sábado. Faltando 1 mês e meio para prova estudei matérias com menor peso, como Regimento Interno.

    Sempre conciliei estudo e trabalho. Acredito que o conhecimento adquirido é acumulativo. Estudava pouco, porém, com constância. Aproveitei a bagagem que tinha do concurso de Escrevente do TJ/SP de 2014 e fui acumulando conhecimento. Estudei pelas vídeo-aulas do AlfaCon e por questões de sites com banco de questões. Acredito que questões complementam a teoria. Com esse conjunto posso dizer que fiquei forte para encarar a prova.

    É difícil manter a motivação por um longo período de tempo. Como falei acima, meu estudo passou por altos e baixos. Nunca pensei em desistir, porém a situação que o país passa e a retenção de gastos públicos abalou um pouco a motivação. Mas concurso sempre vai existir e acabou saindo.

    Tive que abrir mão de algumas coisas. O Netflix ficou de lado, faltando 2 meses para prova deixei a academia de lado, sextas-feiras à noite se tornaram momento de estudo. Isso todo mundo que estuda para concurso passa, e foi tranquilo eu passar por isso.

    Meus familiares e namorada apoiaram. Afinal todos são concursados e conhecem esse mundo dos concursos. Como moro sozinho e trabalhava não existiu aquela pressão da família para deixar o estudo para trabalhar. Nunca abri mão dos sábados à noite e domingos para ver amigos e família. Talvez um dia tenha que abrir mão por um concurso de mais alto nível.

    Nunca fiz provas para treinar. Todas as provas que fiz foi com o intuito de passar e ser nomeado. Para treinar fazia simulados e questões. Estudei um pouco com edital fechado, cerca de 3 meses. Porém com mais afinco com o edital aberto.

    Em meados de 2014 estava à procura de cursos online para o cargo de Escrevente do TJ-SP. Pesquisei no Google e um deles era o AlfaCon. Vi alguns vídeos no YouTube e gostei do método de ensino. O vídeo que mais me chamou atenção foi uma aula de Código Penal do Evandro Guedes, a forma que ele explicava os crimes de forma informal. Daí decidi me tornar um Alfartano. O AlfaCon me deu o suporte que precisava para resolver aprender a teoria e resolver exercícios. Sem um bom curso não é possível nem entender o que a banca pede. A partir desse conhecimento que é o alicerce é possível o estudante construir o resto.

    Minha técnica era exercício atrás de exercício. Os que tinha mais dificuldade anotava alguns comentários no caderno. Depois de um tempo tinha um caderno de revisão de questões difíceis.

    A maior dificuldade foi a ansiedade. Pensar no resultado antes mesmo de construir esse resultado atrás do treino. Acredito que não superei, pois sou muito ansioso. Porém sempre pensei no resultado, mas sempre treinando duro.

    A ansiedade sempre bate quando chega perto da data da prova, mas apostei na constância. Segui o ritmo. Relaxei só no dia anterior a prova.

    Foi essencial para a minha aprovação ter apostado no conhecimento específico, nos Direitos Eleitorais, o Constitucional e Administrativo tinham um peso enorme na nota final, estudei com pensamento de acertar o máximo possível. Minha falha foi negligenciar a redação. Ficava com preguiça de construir dissertações e paguei o preço. Perdi muitas posições por esse erro.

    Ler depoimento completo
  • Leonardo Hiroshi Takeuti TRE - SP 2017
    Gravatar

    Meu nome é Leonardo Hiroshi Takeuti, sou de Ibiúna-SP, tenho 26 anos e sou formado em Educação Física.

    Faço concurso público desde que fiz 18 anos, pois não queria entrar para a faculdade sem ter um emprego estável para me manter. Passei em um municipal perto da minha cidade e assumi. Terminei a faculdade e comecei a estudar de verdade para concursos federais. Atualmente, mesmo com a aprovação no TRE-SP continuo estudando, meu próximo objetivo é a PRF.

    Estudo faz uns 8 anos, porém era sem orientação e organização. Com o AlfaCon desde fevereiro de 2016, fiz o curso para o INSS, tive 3 meses e meio para estudar, fui bem na prova (85 pontos), porém não foi o suficiente. Logo em seguida iniciei os estudos para o TRE-SP, foram mais uns 6 meses de preparação. Dei mais atenção ao direito eleitoral, pois já estava com uma preparação razoável nas básicas, mas mesmo assim continuei estudando todas as matérias do edital. Estudava em média 6 horas diárias, porém aos sábados estudava metade e aos domingos não estudava.

    Conciliava os estudos com o trabalho na prefeitura. Como estava trabalhando em um lugar mais tranquilo conseguia estudar um pouco nesse período também.

    Exclusivamente com materiais do Alfa. Adquiri o curso combo com exercícios e também uma apostila de TRE-PE (que acabei desistindo de fazer) e outra de Direito Eleitoral do Prof. Gleibe. Acredito que o estudo com a apostila de eleitoral foi o diferencial para ir bem nessa matéria, pois fiz muitos exercícios contidos nela. Sempre que o AlfaCon fazia evento ao vivo pelos canais do YouTube eu também assistia.

    Sempre busquei continuar motivado, mesmo quando eu não acreditava que daria certo procurava assistir os vídeos dos alunos que já foram aprovados ou mesmo com discursos do Prof. Evandro. O bom resultado que obtive na prova do INSS, mesmo com o pouco tempo de preparo, foi fundamental para eu acreditar que só dependeria de mim a aprovação, pois de material eu estava muito bem servido.

    Para ser sincero não abri mão de muitas coisas. Acredito que o mais importante não é a quantidade de horas de estudo, e sim a qualidade. Claro que diminuiu o tempo que tinha livre, mas sempre busquei alguns fins de semana sair um pouco para relaxar da rotina de estudos.

    Eu moro com meus pais e namoro. Nunca tive problema sobre essa questão. Minha namorada sempre me apoiou nessa empreitada.

    Já fiz dezenas de concursos, alguns federais e estaduais e muitos municipais. Fui aprovado em alguns, mas nenhum de grande relevância. Acredito que essa experiência de prova é fundamental para a preparação, pois às vezes mesmo sem saber a resposta consigo acertar a questão graças às dezenas de concursos que prestei.

    Para o INSS comecei a estudar faltando 3 meses e meio para a prova. Para o TRE-SP faltava ainda uns 6 meses, com edital aberto também.

    Quando resolvi estudar para o INSS pesquisei os cursos disponíveis. Entre vários de cursos resolvi conhecer melhor o AlfaCon, li os depoimentos de aprovados, a quantidade absurda de aprovações nos concursos mais relevantes.

    O AlfaCon me ajudou de duas formas: com o conhecimento necessário para acertar as questões e com a motivação para continuar estudando, mesmo quando bate o desanimo e descrença em si mesmo.

    Minha tática foi estabelecer horários específicos para assistir as aulas. Dividia a tela do computador, com metade o vídeo e a outra metade o pdf da aula. Após rodar a matéria pelo menos duas vezes eu resolvia muitas questões, buscando o conteúdo das questões que errava.

    Minha maior dificuldade foi a incerteza de saber se daria certo. Se estava estudando o suficiente ou se dava para melhorar ainda mais. Mas simplesmente continuei em frente, revendo os conteúdos e fazendo muitas questões, e isso ajudou a superar as dificuldades.

    Conforme a prova ficava mais próxima aumentei a intensidade dos estudos. Assisti as revisões do AlfaCon de Cascavel e de São Paulo. Fiz muitos simulados no último mês.

    O que foi essencial para minha aprovação foi minha preparação nas matérias básicas. Gabaritei português, e errei poucas de eleitoral. Acredito que poderia ter me preparado para a redação, pois essa foi minha maior falha. Durante meus estudos não fiz redação para treinar, com certeza poderia ter tirado uma nota melhor se tivesse praticado.

    Ler depoimento completo
  • Bruno Santiago Siqueira Machado TRE - SP 2017
    Gravatar

    Meu nome é Bruno Santiago Siqueira Machado, tenho 30 anos, sou de São José dos Campos-SP e formado em Marketing.

    Decidi começar a estudar para concurso público porque gostei do método de aulas e também de absorver conteúdo. Vi um futuro promissor baseado na facilidade em estudar e adquirir conhecimento.

    Já fui aprovado no TJ-SP e aguardo nomeação. Estudei 4 meses com material gratuito do AlfaCon. Para este do TRE-SP, estudei cerca de 3 meses especificamente, mas estava na caminhada para as fiscais. Dediquei-me totalmente ao conteúdo de Direito Eleitoral.

    Estudava antes de iniciar o expediente, no próprio local de trabalho, além de aproveitar o horário de almoço (às vezes não almoçava). Ao chegar em casa, estudava numa mesa horrível que me fez ter muitas dores durante uns bons meses, mesmo após a prova. Estudei com a Apostila do AlfaCon para TRE-SP, Noções de Direito Eleitoral (Fauth), Direito Eleitoral (Gleibe), Reta Final e curso de exercícios.

    Não pensei em desistir, mas desanimei num período por ver vários conteúdos diferentes acerca de um mesmo tema. Minha motivação foi que o conteúdo estava sendo absorvido com qualidade e entendimento. Os exercícios ao fim de cada matéria da apostila foi o que ajudou também.

    Passar por esse período, é difícil explicar, pois já faz tanto tempo que estou "isolado" que eu nem sinto mais rs. Quando precisei espairecer e respirar, minha programação sempre foi com minha esposa e saíamos para comer algo. A fase que vivo atualmente é aquela que os conhecidos já abriram mão por não ter dinheiro e não ter muito o que oferecer. Novamente, digo que não sinto falta, pois a companhia de minha esposa e a direção e presença de Deus foram e são suficientes.

    Minha esposa é a maior incentivadora e provou isso na época em que trabalhou 2 períodos como professora, em 2 escolas de cidades diferentes para que pudesse estudar. Quando assumi um cargo na prefeitura municipal com remuneração baixa, continuou na mesma rotina e sempre acreditou em mim. O resto da família, como é grande, tem a parte que apoia, tem a parte que critica, tem a parte que só vê o lado negativo, e a última parte que torce contra.

    Fiz o TRE-SP para treinar! Estudo para as carreiras fiscais e só paro quando o Senhor determinar que cheguei aonde Ele quer. Passei em outros, mas aguardo para ser chamado, pois passei fora do número de vagas.

    Eu estudava para a Receita antes do edital abrir, mas tive alguns intervalos de dias em meu estudo, o que atrapalharam minha classificação.

    Estudei através dos vídeos gratuitos para o TJ-SP, material didático, dicas para a prova, Reta Final, Curso. O Noções de Direito Eleitoral, infelizmente, não tinha sido concluído e isso prejudicou meu conhecimento, pois do Direito Eleitoral com o Gleibe era mais dicas do que o ensino da matéria em si.

    Nunca gostei de firulas, misticismo ou 387 cores de caneta para anotar. Lia a apostila, anotava palavras-chave ao lado do texto da apostila e resolvia exercícios. As aulas, acabava assistindo 2 encontros por dia, por causa do tempo curto para a prova. Anotava tudo que era falado e gostei de variar a mesma matéria, mas com professores diferentes, pois você sempre a mesma coisa, o que acabava fixando mais.

    Ler depoimento completo
  • Hugo Costa Pinheiro TRE - SP 2017
    Blank avatar

    Meu nome é Hugo Costa Pinheiro, tenho 30 anos e sou de Aracajú-SE. Sou formado em Administração e resolvi estudar para concurso público pela estabilidade, remuneração e benefícios.

    Desde que comecei os estudos com dedicação exclusiva, foram 2 anos e 8 meses. Sempre me dediquei às matérias que tenho mais dificuldade, mas nunca esquecendo das outras.

    Até então era dedicação exclusiva, porém, desde fevereiro desse ano, tomei posse no concurso da DPU e estou precisando conciliar.

    Comecei com aulas presenciais, comprei livros, depois passei para as aulas on-line. Pensei em desistir várias vezes. Mas as coisas, materiais ou não, com que eu sonho, me ajudaram a persistir.

    Sempre falei que, com organização, dá para conciliar os momentos de lazer com os de estudo. Todos me apoiaram muito bem. Isso é de suma importância para a preparação.

    Já venho fazendo concursos desde 2014. Experiência conta bastante. Nunca deixei de estudar. Estudar antes do edital é o grande diferencial.

    Conheci o AlfaCon por indicação de amigos. Os materiais de apoio do AlfaCon, além da dedicação dos professores, foram muito importantes em minha jornada.

    Uma de minhas técnicas é criar dicas, fazer quadros e mapas mentais para interligar as matérias.

    Ficar sem trabalhar e consequentemente sem dinheiro, foram as maiores dificuldades. Mas superei as dificuldades com a ajuda de um psicólogo.

    Para minha aprovação houve falhas, sem dúvida. Deveria ter focado mais nos concursos de tribunais, mas tudo é um aprendizado.

    Ler depoimento completo
  • Heitor Martins Nogueira TRE - SP 2017
    Gravatar

    Meu nome é Heitor Martins Nogueira, tenho 36 anos, sou de Mongaguá-SP e não possuo formação superior. Resolvi estudar para concurso público por causa da boa remuneração e estabilidade.

    Estudei por aproximadamente 2 anos, em média 2 horas diárias. Me dediquei mais em direito eleitoral, que além de ter peso 3 foi praticamente metade das específicas. Não precisei conciliar, somente estudava, pois estou afastado do trabalho por motivo de enfermidade.

    A parte de leis eu estudei a Lei Seca mesmo. As demais por vídeo aulas gratuitas do AlfaCon, que são excelentes.

    Sempre me mantive motivado, quando algo tentava me desmotivar eu assistia os vídeos do AlfaCon (vida no presencial), que são muito bons para quem está se sentindo desmotivado. Durante os estudos, é preciso abrir mão de muita coisa, por exemplo pescar, eu adoro pescar, mas durante o período de preparação não fui nem uma vez sequer.

    Eu sou casado e minha esposa me apoia muito, ela está querendo fazer o TJ-SP comigo também.

    Fiz o concurso do INSS e fiquei em 52° na minha região (Santos-SP). Comecei a estudar para o concurso do TRE com o edital prestes a sair, mais ou menos um mês antes.

    Conheci a AlfaCon através do YouTube. O AlfaCon vem me ajudando muito, tenho livro de exercícios, apostila e não perco nenhuma aula do YouTube. Em breve pretendo adquirir o curso completo.

    Uma tática que usei foi minha memorização, que era feita através do meu caderno de resumos, todos os dias eu fazia uma revisão nele.

    Minha maior dificuldade foi o primeiro contato com as matérias de Direito, no começo foi muito difícil, mas com um pouco de persistência foi se tornando mais fácil ir assimilando. A chave para eu ter superado foi realmente a persistência, sem ela não chegamos a lugar nenhum.

    É difícil controlar a ansiedade, com a aproximação do concurso, eu estava ficando até com insônia nos últimos 15 dias da prova, para melhorar um pouco eu tomava Maracugina e ficava lendo Lei Seca até dormir.

    O foco foi decisivo na minha preparação, só acho que eu deveria ter feito mais exercícios, errei questões "bobas" por falta de treino.

    Ler depoimento completo
  • Marcia Valadares da Silva Oliveira TRE - SP 2017
    Image

    Meu nome é Marcia Valadares da Silva Oliveira, sou de Belo Horizonte-MG e tenho formação superior em Administração.

    Estudo para concurso há 3 anos, mas infelizmente não com a dedicação necessária. No entanto, nunca deixei de estudar, por mais que fosse pouco tempo não deixei de acumular conhecimentos. Tive a minha primeira aprovação no TRE/MG em 2015, no qual estou bem próxima de ser nomeada. Me dedico maior tempo a disciplina de específicas, mas não deixo nenhuma de lado. Concilio estudo, trabalho, casa e filho pequeno. Me planejei para aproveitar o tempo que tinha. Meu rendimento é muito bom com vídeo-aulas, por isso li muito a Lei Seca e exercícios.

    Tenho altos e baixos com estudos, mas estava tão decepcionada com o trabalho que isso acabou sendo um fator para a motivação dos estudos.

    Sou casada e tenho uma filha de 6 anos. Meu esposo me apoia, não incondicionalmente, mas faz o possível para ajudar. Foram muitos feriados em casa, festas ausentes e momentos trancadas no quarto. Além disso, perdi as contas das vezes que pedi ao meu esposo para passear com a minha filha para que eu pudesse ficar por conta de estudar.

    Fiz três concursos, mas minha melhor aprovação foi no TER-MG. Não esperei abrir o edital, já vinha estudando em doses homeopáticas, mas estudava. Conheci o AlfaCon pesquisando por aulas no YouTube. O AlfaCon possui professores excelentes que além de ensinar nos motivam, e isso foi essencial para a minha jornada.

    Não tenho nenhuma técnica em especial, mas gosto de aproveitar o meu tempo. Baixei algumas leis em áudio e ouço quando estou no trânsito, quando estou fazendo algum trabalho doméstico coloco vídeo aulas para ouvir e nos períodos de sonolência troco a leitura por exercício para espantar a preguiça.

    Minha maior dificuldade foi o cansaço, mas foquei em meu objetivo e consegui superar todas as dificuldades. Não sou ansiosa, então não fiquei tão nervosa quando o concurso se aproximou.

    Acredito que poderia ter dedicado mais tempo, isso pode ter sido uma falha.

    Ler depoimento completo