0

Logo alfacon 1e2926b0dc1c5b43342561d71a0f85e83ef3776d6378a85a56a2c1e4d39dc64d Alunos Aprovados

Estude com quem mais aprova!

  • 1/3 dos aprovados na Polícia Federal são Alfartanos!
  • 1º lugar nacional na Polícia Rodoviária Federal é Alfartano!
  • 1º colocado no DEPEN é Alfartano!
  • 662 aprovados no INSS são Alfartanos!
  • Mais de 400 aprovados no TJ PR são Alfartanos!

Faça parte dos mais de 55.000 alunos aprovados!

Evandro 01 bb9c1691ba19a76f0d5aad5139206d3c7501ea2fe67c818d203694b9ae35bb17
  • Marcos Medeiros Polícia Civil do Mato Grosso do Sul
    Mqdefault
  • Gabriel Lopes Possamai Polícia Civil do Mato Grosso do Sul
    Mqdefault
  • Artur e Cristiano TJ SP 2017
    Mqdefault
  • Janilson Erick IBGE - 2017
    Mqdefault
  • Leonardo Hiroshi Takeuti TRE - SP 2017
    Gravatar 05682df21c0a7aeb3c40dfe27317390c7310900783d337d336f54e3b7f125ed2

    Meu nome é Leonardo Hiroshi Takeuti, sou de Ibiúna-SP, tenho 26 anos e sou formado em Educação Física.

    Faço concurso público desde que fiz 18 anos, pois não queria entrar para a faculdade sem ter um emprego estável para me manter. Passei em um municipal perto da minha cidade e assumi. Terminei a faculdade e comecei a estudar de verdade para concursos federais. Atualmente, mesmo com a aprovação no TRE-SP continuo estudando, meu próximo objetivo é a PRF.

    Estudo faz uns 8 anos, porém era sem orientação e organização. Com o AlfaCon desde fevereiro de 2016, fiz o curso para o INSS, tive 3 meses e meio para estudar, fui bem na prova (85 pontos), porém não foi o suficiente. Logo em seguida iniciei os estudos para o TRE-SP, foram mais uns 6 meses de preparação. Dei mais atenção ao direito eleitoral, pois já estava com uma preparação razoável nas básicas, mas mesmo assim continuei estudando todas as matérias do edital. Estudava em média 6 horas diárias, porém aos sábados estudava metade e aos domingos não estudava.

    Conciliava os estudos com o trabalho na prefeitura. Como estava trabalhando em um lugar mais tranquilo conseguia estudar um pouco nesse período também.

    Exclusivamente com materiais do Alfa. Adquiri o curso combo com exercícios e também uma apostila de TRE-PE (que acabei desistindo de fazer) e outra de Direito Eleitoral do Prof. Gleibe. Acredito que o estudo com a apostila de eleitoral foi o diferencial para ir bem nessa matéria, pois fiz muitos exercícios contidos nela. Sempre que o AlfaCon fazia evento ao vivo pelos canais do YouTube eu também assistia.

    Sempre busquei continuar motivado, mesmo quando eu não acreditava que daria certo procurava assistir os vídeos dos alunos que já foram aprovados ou mesmo com discursos do Prof. Evandro. O bom resultado que obtive na prova do INSS, mesmo com o pouco tempo de preparo, foi fundamental para eu acreditar que só dependeria de mim a aprovação, pois de material eu estava muito bem servido.

    Para ser sincero não abri mão de muitas coisas. Acredito que o mais importante não é a quantidade de horas de estudo, e sim a qualidade. Claro que diminuiu o tempo que tinha livre, mas sempre busquei alguns fins de semana sair um pouco para relaxar da rotina de estudos.

    Eu moro com meus pais e namoro. Nunca tive problema sobre essa questão. Minha namorada sempre me apoiou nessa empreitada.

    Já fiz dezenas de concursos, alguns federais e estaduais e muitos municipais. Fui aprovado em alguns, mas nenhum de grande relevância. Acredito que essa experiência de prova é fundamental para a preparação, pois às vezes mesmo sem saber a resposta consigo acertar a questão graças às dezenas de concursos que prestei.

    Para o INSS comecei a estudar faltando 3 meses e meio para a prova. Para o TRE-SP faltava ainda uns 6 meses, com edital aberto também.

    Quando resolvi estudar para o INSS pesquisei os cursos disponíveis. Entre vários de cursos resolvi conhecer melhor o AlfaCon, li os depoimentos de aprovados, a quantidade absurda de aprovações nos concursos mais relevantes.

    O AlfaCon me ajudou de duas formas: com o conhecimento necessário para acertar as questões e com a motivação para continuar estudando, mesmo quando bate o desanimo e descrença em si mesmo.

    Minha tática foi estabelecer horários específicos para assistir as aulas. Dividia a tela do computador, com metade o vídeo e a outra metade o pdf da aula. Após rodar a matéria pelo menos duas vezes eu resolvia muitas questões, buscando o conteúdo das questões que errava.

    Minha maior dificuldade foi a incerteza de saber se daria certo. Se estava estudando o suficiente ou se dava para melhorar ainda mais. Mas simplesmente continuei em frente, revendo os conteúdos e fazendo muitas questões, e isso ajudou a superar as dificuldades.

    Conforme a prova ficava mais próxima aumentei a intensidade dos estudos. Assisti as revisões do AlfaCon de Cascavel e de São Paulo. Fiz muitos simulados no último mês.

    O que foi essencial para minha aprovação foi minha preparação nas matérias básicas. Gabaritei português, e errei poucas de eleitoral. Acredito que poderia ter me preparado para a redação, pois essa foi minha maior falha. Durante meus estudos não fiz redação para treinar, com certeza poderia ter tirado uma nota melhor se tivesse praticado.

    Ler depoimento completo
  • Bruno Santiago Siqueira Machado TRE - SP 2017
    Gravatar 05682df21c0a7aeb3c40dfe27317390c7310900783d337d336f54e3b7f125ed2

    Meu nome é Bruno Santiago Siqueira Machado, tenho 30 anos, sou de São José dos Campos-SP e formado em Marketing.

    Decidi começar a estudar para concurso público porque gostei do método de aulas e também de absorver conteúdo. Vi um futuro promissor baseado na facilidade em estudar e adquirir conhecimento.

    Já fui aprovado no TJ-SP e aguardo nomeação. Estudei 4 meses com material gratuito do AlfaCon. Para este do TRE-SP, estudei cerca de 3 meses especificamente, mas estava na caminhada para as fiscais. Dediquei-me totalmente ao conteúdo de Direito Eleitoral.

    Estudava antes de iniciar o expediente, no próprio local de trabalho, além de aproveitar o horário de almoço (às vezes não almoçava). Ao chegar em casa, estudava numa mesa horrível que me fez ter muitas dores durante uns bons meses, mesmo após a prova. Estudei com a Apostila do AlfaCon para TRE-SP, Noções de Direito Eleitoral (Fauth), Direito Eleitoral (Gleibe), Reta Final e curso de exercícios.

    Não pensei em desistir, mas desanimei num período por ver vários conteúdos diferentes acerca de um mesmo tema. Minha motivação foi que o conteúdo estava sendo absorvido com qualidade e entendimento. Os exercícios ao fim de cada matéria da apostila foi o que ajudou também.

    Passar por esse período, é difícil explicar, pois já faz tanto tempo que estou "isolado" que eu nem sinto mais rs. Quando precisei espairecer e respirar, minha programação sempre foi com minha esposa e saíamos para comer algo. A fase que vivo atualmente é aquela que os conhecidos já abriram mão por não ter dinheiro e não ter muito o que oferecer. Novamente, digo que não sinto falta, pois a companhia de minha esposa e a direção e presença de Deus foram e são suficientes.

    Minha esposa é a maior incentivadora e provou isso na época em que trabalhou 2 períodos como professora, em 2 escolas de cidades diferentes para que pudesse estudar. Quando assumi um cargo na prefeitura municipal com remuneração baixa, continuou na mesma rotina e sempre acreditou em mim. O resto da família, como é grande, tem a parte que apoia, tem a parte que critica, tem a parte que só vê o lado negativo, e a última parte que torce contra.

    Fiz o TRE-SP para treinar! Estudo para as carreiras fiscais e só paro quando o Senhor determinar que cheguei aonde Ele quer. Passei em outros, mas aguardo para ser chamado, pois passei fora do número de vagas.

    Eu estudava para a Receita antes do edital abrir, mas tive alguns intervalos de dias em meu estudo, o que atrapalharam minha classificação.

    Estudei através dos vídeos gratuitos para o TJ-SP, material didático, dicas para a prova, Reta Final, Curso. O Noções de Direito Eleitoral, infelizmente, não tinha sido concluído e isso prejudicou meu conhecimento, pois do Direito Eleitoral com o Gleibe era mais dicas do que o ensino da matéria em si.

    Nunca gostei de firulas, misticismo ou 387 cores de caneta para anotar. Lia a apostila, anotava palavras-chave ao lado do texto da apostila e resolvia exercícios. As aulas, acabava assistindo 2 encontros por dia, por causa do tempo curto para a prova. Anotava tudo que era falado e gostei de variar a mesma matéria, mas com professores diferentes, pois você sempre a mesma coisa, o que acabava fixando mais.

    Ler depoimento completo
  • Hugo Costa Pinheiro TRE - SP 2017
    Blank avatar 78a18a07ec53452a6439f8a0d49a24694ea33cc3713805b73c402189b2de0a89

    Meu nome é Hugo Costa Pinheiro, tenho 30 anos e sou de Aracajú-SE. Sou formado em Administração e resolvi estudar para concurso público pela estabilidade, remuneração e benefícios.

    Desde que comecei os estudos com dedicação exclusiva, foram 2 anos e 8 meses. Sempre me dediquei às matérias que tenho mais dificuldade, mas nunca esquecendo das outras.

    Até então era dedicação exclusiva, porém, desde fevereiro desse ano, tomei posse no concurso da DPU e estou precisando conciliar.

    Comecei com aulas presenciais, comprei livros, depois passei para as aulas on-line. Pensei em desistir várias vezes. Mas as coisas, materiais ou não, com que eu sonho, me ajudaram a persistir.

    Sempre falei que, com organização, dá para conciliar os momentos de lazer com os de estudo. Todos me apoiaram muito bem. Isso é de suma importância para a preparação.

    Já venho fazendo concursos desde 2014. Experiência conta bastante. Nunca deixei de estudar. Estudar antes do edital é o grande diferencial.

    Conheci o AlfaCon por indicação de amigos. Os materiais de apoio do AlfaCon, além da dedicação dos professores, foram muito importantes em minha jornada.

    Uma de minhas técnicas é criar dicas, fazer quadros e mapas mentais para interligar as matérias.

    Ficar sem trabalhar e consequentemente sem dinheiro, foram as maiores dificuldades. Mas superei as dificuldades com a ajuda de um psicólogo.

    Para minha aprovação houve falhas, sem dúvida. Deveria ter focado mais nos concursos de tribunais, mas tudo é um aprendizado.

    Ler depoimento completo
  • Heitor Martins Nogueira TRE - SP 2017
    Gravatar 05682df21c0a7aeb3c40dfe27317390c7310900783d337d336f54e3b7f125ed2

    Meu nome é Heitor Martins Nogueira, tenho 36 anos, sou de Mongaguá-SP e não possuo formação superior. Resolvi estudar para concurso público por causa da boa remuneração e estabilidade.

    Estudei por aproximadamente 2 anos, em média 2 horas diárias. Me dediquei mais em direito eleitoral, que além de ter peso 3 foi praticamente metade das específicas. Não precisei conciliar, somente estudava, pois estou afastado do trabalho por motivo de enfermidade.

    A parte de leis eu estudei a Lei Seca mesmo. As demais por vídeo aulas gratuitas do AlfaCon, que são excelentes.

    Sempre me mantive motivado, quando algo tentava me desmotivar eu assistia os vídeos do AlfaCon (vida no presencial), que são muito bons para quem está se sentindo desmotivado. Durante os estudos, é preciso abrir mão de muita coisa, por exemplo pescar, eu adoro pescar, mas durante o período de preparação não fui nem uma vez sequer.

    Eu sou casado e minha esposa me apoia muito, ela está querendo fazer o TJ-SP comigo também.

    Fiz o concurso do INSS e fiquei em 52° na minha região (Santos-SP). Comecei a estudar para o concurso do TRE com o edital prestes a sair, mais ou menos um mês antes.

    Conheci a AlfaCon através do YouTube. O AlfaCon vem me ajudando muito, tenho livro de exercícios, apostila e não perco nenhuma aula do YouTube. Em breve pretendo adquirir o curso completo.

    Uma tática que usei foi minha memorização, que era feita através do meu caderno de resumos, todos os dias eu fazia uma revisão nele.

    Minha maior dificuldade foi o primeiro contato com as matérias de Direito, no começo foi muito difícil, mas com um pouco de persistência foi se tornando mais fácil ir assimilando. A chave para eu ter superado foi realmente a persistência, sem ela não chegamos a lugar nenhum.

    É difícil controlar a ansiedade, com a aproximação do concurso, eu estava ficando até com insônia nos últimos 15 dias da prova, para melhorar um pouco eu tomava Maracugina e ficava lendo Lei Seca até dormir.

    O foco foi decisivo na minha preparação, só acho que eu deveria ter feito mais exercícios, errei questões "bobas" por falta de treino.

    Ler depoimento completo
  • Marcia Valadares da Silva Oliveira TRE - SP 2017
    Image

    Meu nome é Marcia Valadares da Silva Oliveira, sou de Belo Horizonte-MG e tenho formação superior em Administração.

    Estudo para concurso há 3 anos, mas infelizmente não com a dedicação necessária. No entanto, nunca deixei de estudar, por mais que fosse pouco tempo não deixei de acumular conhecimentos. Tive a minha primeira aprovação no TRE/MG em 2015, no qual estou bem próxima de ser nomeada. Me dedico maior tempo a disciplina de específicas, mas não deixo nenhuma de lado. Concilio estudo, trabalho, casa e filho pequeno. Me planejei para aproveitar o tempo que tinha. Meu rendimento é muito bom com vídeo-aulas, por isso li muito a Lei Seca e exercícios.

    Tenho altos e baixos com estudos, mas estava tão decepcionada com o trabalho que isso acabou sendo um fator para a motivação dos estudos.

    Sou casada e tenho uma filha de 6 anos. Meu esposo me apoia, não incondicionalmente, mas faz o possível para ajudar. Foram muitos feriados em casa, festas ausentes e momentos trancadas no quarto. Além disso, perdi as contas das vezes que pedi ao meu esposo para passear com a minha filha para que eu pudesse ficar por conta de estudar.

    Fiz três concursos, mas minha melhor aprovação foi no TER-MG. Não esperei abrir o edital, já vinha estudando em doses homeopáticas, mas estudava. Conheci o AlfaCon pesquisando por aulas no YouTube. O AlfaCon possui professores excelentes que além de ensinar nos motivam, e isso foi essencial para a minha jornada.

    Não tenho nenhuma técnica em especial, mas gosto de aproveitar o meu tempo. Baixei algumas leis em áudio e ouço quando estou no trânsito, quando estou fazendo algum trabalho doméstico coloco vídeo aulas para ouvir e nos períodos de sonolência troco a leitura por exercício para espantar a preguiça.

    Minha maior dificuldade foi o cansaço, mas foquei em meu objetivo e consegui superar todas as dificuldades. Não sou ansiosa, então não fiquei tão nervosa quando o concurso se aproximou.

    Acredito que poderia ter dedicado mais tempo, isso pode ter sido uma falha.

    Ler depoimento completo
  • Fernando Menezes Ferreira Polícia Militar Minas Gerais 2017
    Praia

    Sou Fernando tenho 27 anos, sou natural de Belo Horizonte, moro em Contagem-MG com meus pais e com meu irmão. Sou formado em Turismo e estava trabalhando na área até Junho de 2016 quando fui mandado embora devido a crise que atingiu forte principalmente a hotelaria. Em meados de Setembro/2016, me vi em uma situação de angústia, totalmente sem rumo, com isso pedi muito a Deus que me desse um sinal pra qual caminho seguir, passaram-se algumas semanas e o sinal veio através de amigo (porém ainda não havia percebido, demorei pra perceber mas percebi), ao contar minha situação pra ele, o mesmo me disse em estudar pra concurso público e comentou sobre o concurso da PM - MG que seria uma boa e tal! Ele me indicou dois vídeos pra assistir, o primeiro de um professor de Filosofia e um outro do Evandro Guedes, foi um tampa na cara hahaha, a partir daí, comecei a procurar pelos cursos do AlfaCon e estudar pelas aulas Free e nunca mais parei.

    Desempregado, sem dinheiro, com as contas que não param de chegar, inclusive pagando um apto junto com a namorada, ainda bem que ela trabalha, mas mesmo assim esta muito apertado. Em meio a essas dificuldades, pedi para os meus pais e para meu irmão para que me ajudassem a pagar a curso pra PM - MG do AlfaCon, porém os mesmos também se encontravam em uma situação delicada, até que veio a promoção de Natal onde minha mãe me ajudou a adquirir este curso, já tinha comprado a apostila com o único dinheiro que tinha, agora estava com os materiais completos, comecei a estudar forte pois faltava dois meses para a prova.

    Enfim, passei na prova objetiva com 67,50 pts e recentemente passei na redação com 89 pts, agora estou aguardando a convocação pra a 2° fase, porém continuo os estudos para a próxima prova da PM - MG só que para o Interior que será em maio e aproveitar também porque o meu curso expira no dia 22 de Junho/2017.

    Assim que fizer esta última prova da PM - MG Interior, irei dar continuidade mesmo com as aulas/cursos Free passando o foco para os grandes PF e PRF porque "pensar pequeno e pensar grande dá o mesmo trabalho", enquanto não consigo um emprego que me dê condições de investir em um curso, eu sempre participo das promoções como pro exemplo este último que o Prof Che lançou: "Porque eu mereço ganhar o 5000 Questões ou o Curso Anual?" quem sabe né?!

    Muito obrigado Família AlfaCon, sem vocês não teria conquistado esta vitória e espero que não seja a única!

    E como forma de gratidão, tento trazer pessoas pra estudar pelo AlfaCon como por exemplo minha namorada, meu irmão e amigos.

    Contem comigo para o que precisarem!

    Sucesso a todos!

    Ler depoimento completo
  • Wellington Pereira Brito TRE - SP 2017
    Gravatar 05682df21c0a7aeb3c40dfe27317390c7310900783d337d336f54e3b7f125ed2

    Meu nome é Wellington Pereira Brito, tenho 25 anos, sou de Planaltina-DF e tenho ensino superior em Gestão Ambiental. Decidi estudar para concurso público pela mudança de vida, uma vez que aprendi que é preciso lutar se quisermos algo melhor e é nas batalhas que deixamos escrito nossa história.

    Comecei a estudar para concursos no final de 2014, iniciando pelas carreiras bancárias e administrativas. Assim, eu estudava de acordo com os editais e acrescentava as disciplinas necessárias caso eu não as estivesse estudando. Comecei a estudar para o TRE SP após a conclusão dos trâmites do concurso do Instituto Nacional do Seguro Social. Foquei bastante no Direito Eleitoral uma vez que era uma disciplina nova para mim. No início, eu estudava mais Eleitoral para poder compreender melhor a disciplina tendo em vista que eram muitos detalhes, mas após algum tempo passei a equilibrar as disciplinas aliando principalmente o Direito Constitucional com o Direito Eleitoral na parte pertinente ao concurso sem deixar de lado as outras matérias.

    Realizei bastantes simulados do AlfaCon, que me ajudaram a perceber erros e lacunas no estudo - o que foi essencial para o dia da prova. Nesse sentido, dedicava minhas horas livres para estudar e sentia que às vezes precisava me dedicar mais, mas estava fazendo o que estava ao meu alcance aproveitando meu tempo de estudo com qualidade e dedicação.

    Tive que conciliar estudos com trabalho. Na hora do almoço eu sempre via vídeos ou lia conteúdos que me ajudariam na hora da prova. Após finalizar o expediente ia diretamente para casa e recomeçava de onde havia parado. Quando estava muito cansado, eu começava a ver dicas rápidas para que minha mente pudesse descansar e ao mesmo tempo gravar os conteúdos.

    Estudei por vídeo aulas e material didático (em especial o confeccionado para o TRE/SP). Os conteúdos contemplaram todas as exigências do edital e foram essenciais para o dia da prova.

    Tive motivação na maioria do tempo e não pensei em desistir. Em alguns momentos, a desmotivação vinha devido ao cansaço do dia, mas tentei relaxar a mente e corpo para melhor me adaptar com as demandas diárias. O que sempre me motivou foi a perspectiva de mudança.

    Com os estudos ficamos por vezes antissociais e temos que recusar convites para sair aos finais de semana ou mesmo uma simples reunião de família. Foi assim que segui por boa parte do tempo uma vez que priorizava os momentos que poderia estudar em detrimento do lazer com amigos ou família. Você não precisa se isolar, pode sair uma vez ou outra porque seu corpo e mente precisam, porém, deve saber equilibrar as coisas.

    Sou solteiro e moro com meus pais. Sempre recebi apoio da família em relação aos estudos. Quando nos dedicamos aos estudos e não trabalhamos temos dificuldades em nos relacionar com algumas pessoas que sempre perguntam: "você só estuda?" - como se fosse algo fácil, mas minha família sempre estava lá para me apoiar independente de qualquer coisa. Na minha rotina acabei me distanciando de pessoas negativas que colocavam dificuldades em tudo que viam e priorizei estar ao lado daquelas que me incentivavam e me inspiravam a querer ser mais.

    Fiz algumas provas antes desse concurso. Atualmente ocupo o cargo de Assistente em Administração na Universidade do Estado em que resido em virtude de aprovação em um concurso realizado em 2015. Também passei na prova do último concurso do INSS.

    Quando comecei a estudar o edital ainda não estava aberto. Motivei-me pelas perspectivas de trabalho, boa remuneração e qualidade de vida. Percebia os comentários favoráveis sobre o órgão e me sentia inspirado a trabalhar.

    Conheci o AlfaCon por meio de uma das minhas irmãs que me pediu para assistir a uma aula para ela. Inicialmente, eu só teria que ver uma aula e passar o conteúdo, mas acabou que de aula em aula eu percebi que ali estava o que eu precisava. O AlfaCon motivou-me em momentos essenciais e sempre se esforçou em oferecer o melhor para os alunos.

    Sempre memorizei os conteúdos com observação e escrita; fazia muitos resumos. Uma boa técnica é a realização de esquemas principalmente em matérias difíceis. Realizava muitos exercícios não só para assimilar mais os conteúdos, mas para perceber onde era preciso ajuste.

    Uma das maiores dificuldades foi não ver inicialmente o retorno financeiro uma vez que quando iniciei meus estudos eu não trabalhava. Era difícil não poder ajudar nas despesas da casa e por vezes ver minha família passando dificuldades.

    Esforcei-me em focar naquilo que eu queria e afastar os sentimentos negativos ou de derrota. Passei a ficar mais tranquilo e agradecer cada ganho que tinha, cada novo saber que adquiria. Tentei não pensar nas dificuldades como algo impossibilitante, mas como algo de superação e motor para fazer a diferença e mudar o que era necessário.

    Sempre prefiro potencializar os estudos uma vez que a memória de curto prazo pode nos ajudar bastante. Nos momentos próximos à prova fiz bastantes simulados e exercícios e revisei os conteúdos necessários. Tentei não pensar na tensão que seria a prova e evitei a ansiedade para não comprometer meu resultado.

    É difícil saber prontamente onde falhamos. Acredito que se falhei foi nos momentos em que poderia estudar e não o fiz, priorizei ver horas seguidas de seriado, por exemplo.

    Ler depoimento completo
  • Vanessa Brito Silva TRE - SP 2017
    Gravatar 05682df21c0a7aeb3c40dfe27317390c7310900783d337d336f54e3b7f125ed2

    Meu nome é Vanessa Brito Silva, sou de São Paulo-SP e atualmente curso Direito. Resolvi fazer concurso púbico pela estabilidade e remuneração maiores do que na iniciativa privada.

    Atualmente sou servidora da PGE São Paulo e venho estudando a algum tempo. Nesse período obtive aprovação no Concurso do MP São Paulo, e estou aguardando a nomeação. Minha rotina de estudos para este concurso foi bastante pesada pois eu queria aprender tudo e muitas vezes levava muito tempo para mudar de matéria. Estudei todas as matérias do edital com foco nas que eu mais tinha dificuldade. Sinceramente não esperava esse resultado até ver meu nome na lista, enfim estou muito feliz.

    Trabalho, faço faculdade a noite, tenho marido e um casal de filhos. Não é nada fácil para conciliar tudo isso, porém a vontade e o sonho de ser Servidora Federal falou mais forte e o resultado para mim foi positivo. Confesso que poderia ter ido melhor, porém no meio do caminho surgem muitos imprevistos que acabam atrapalhando um pouco quem estuda.

    Estudei com a Lei seca, Doutrina, vídeos no YouTube e muitos exercícios. Estive motivada durante grande parte do tempo, e quando o desanimo chegava eu me imaginava trabalhando no TRE e o quanto isso iria mudar a minha vida e da minha família.

    É claro que o desanimo as vezes chega pois não é nada fácil estudar para concurso, diria que é um sofrimento solitário que só sente quem está sentado estudando, tendo que muitas vezes abdicar de sua família, amigos, festas, mas a aprovação era minha meta e eu me reanimava cada vez que pensava em desistir. Meu marido me apoia muito, mas preciso dar atenção para ele e para os meu filhos, que por sinal entendem e me apoiam também.

    Acabei me distanciando de alguns amigos, mas os bons amigos sempre entenderão e apoiarão quem tem um objetivo e um sonho, por isso não me preocupo pois sei que os verdadeiros estarão ao meu lado sempre.

    Já tentei outros concursos, tanto que já fui aprovada em mais de um e estou aguardando nomeação. Não faço concurso para treinar, estudo com objetivo de passar.

    Comecei a estudar antes do edital abrir, mas confesso que peguei firme mesmo quando abriu. Conheci a AlfaCon através dos vídeos no YouTube, assisti muitas dicas e vídeos o que me ajudou a consolidar as matérias que eu tinha estudado por meio de livros.

    Para me ajudar a memorizar, eu gosto muito de escrever e fazer resumos, além de fazer muitos exercícios para fixar a matéria. Porém, uma das dificuldades foi a financeira, para comprar material e cursos, além do cansaço. Estudei com o material que tinha disponível em casa, busquei os vídeos da AlfaCon na Internet e quando o cansaço batia me imaginava deitada numa rede descansando após ser nomeada.

    Estudei intensamente após a abertura do edital, acho até que me cobrei demais. Estava muito nervosa no dia da prova e tomei muita Maracujina para acalmar, mas não consegui relaxar nenhum pouco pois a cada dia que passava eu me cobrava mais e estudava ainda mais, talvez do jeito errado, e é por isso que acho que poderia ter ido bem melhor se não fosse a ansiedade e o nervosismo.

    A força de vontade e o sonho de uma vida melhor com certeza foram meus melhores aliados.
    Falhei em querer estudar a fundo todas as matérias, isso me prejudicou um pouco, pois muitas perguntas eram tão simples que bastava ter lido a Lei Seca para responder. Acredito que perdi muito tempo estudando Doutrina e Jurisprudência.

    Ler depoimento completo
  • Wagner de Miranda Santos TRE - SP 2017
    Blank avatar 78a18a07ec53452a6439f8a0d49a24694ea33cc3713805b73c402189b2de0a89

    Meu nome é Wagner de Miranda Santos, tenho 26 anos e sou de Caçapava/SP. Sou formado em Engenharia Elétrica e tive interesse em concurso por conta da estabilidade no trabalho e da boa remuneração.

    Por 8 meses, estudei 6 horas por dia, enquanto procurava emprego, pois na época estava desempregado. Estudei por livros, pdf's e vídeo aulas no YouTube, porém, a grande concorrência e o pequeno número de vagas ofertadas desanimou muito.

    Para me dedicar, foi preciso abrir mão de algumas coisas, como ter menos tempo com a minha namorada, mas agora ela reconhece que valeu a pena. Somente meus pais e minha namorada me apoiaram, as outras pessoas achavam que eu era um desocupado procurando justificativas para não trabalhar.

    Este foi meu primeiro concurso, comecei a estudar um ou dois meses antes de abrir o edital. A sorte é que tive bastante tempo.

    Conheci a AlfaCon através do YouTube. Com as revisões gratuitas no YouTube e dicas de estudo e cronograma, a AlfaCon me ajudou muito.

    O que me auxiliou muito foi basicamente estudar e revisar. Fiz alguns resumos e muitas questões comentadas.

    Minhas maiores dificuldades foram estudar matérias totalmente contrárias à minha área de formação e também com Português. O que me ajudou a superar as dificuldades foi pensar que os outros milhares de candidatos também estavam na mesma situação que eu e sentindo as mesmas dificuldades.

    Quando o concurso se aproximou, estudei mais nos últimos dias. No dia da prova só consegui dormir com Dramin. Mas para a minha aprovação o foco foi primordial, só estudei para o TRE. Meu grande erro foi assistir muitas vídeo aulas no YouTube (lá tem muito material bom, mas material ruim também). No concurso tempo é primordial, então só assistir vídeos leva muito tempo, por isso, hoje prefiro apostilas e livros de questões.

    Ler depoimento completo
  • Everson Fernandes da Rocha TRE - SP 2017
    Gravatar 05682df21c0a7aeb3c40dfe27317390c7310900783d337d336f54e3b7f125ed2

    Meu nome é Everson Fernandes da Rocha, tenho 30 anos e sou de Birigui-SP. Não possuo formação superior, então decidi estudar para concurso público para melhorar a situação financeira, minha e de minha família. Estudei por 4 meses, estudava cerca de 6 horas por dia e dei preferência as matérias específicas, com ênfase em Direito Eleitoral.

    Durante 3 meses apenas estudei, no último mês da prova precisei voltar a trabalhar e isto reduziu meu ritmo. Estudei Lei seca e os vídeos disponibilizados pela Alfacon. Durante todo o período de estudos mantive meu foco, pois sei que aprovação é questão de persistência.

    Abdiquei de muita coisa, festas, amigos, família. Foi difícil, mas a vida é feita de escolhas e eu sabia que o retorno a médio e longo prazo viria. Sou solteiro e moro com meus pais. Não tive muito apoio, pois minha família não entende muito bem como funciona e as vezes era criticado por ficar no quarto trancado com os livros, porém isso não é culpa deles, tiveram uma educação diferente e não deixei isso me atrapalhar.

    Tentei alguns concursos municipais, com colocações 100, 42, 8 e 2. Mas resolvi desde que saiu o TRE-SP me dedicar a tribunais. Só comecei a estudar 1 mês após sair o edital pois estava estudando para uma prova em prefeitura.

    Conheci o AlfaCon através de fóruns de concurseiros e YouTube. Os professores são muito didáticos e passam informações preciosas que são muito úteis na hora de resolver as questões.

    Minha técnica era Leitura e mais leitura, e no último mês apenas questões!

    Acredito que a grande dificuldade durante esse período foi ter que abdicar da minha vida pessoal. Porém, minha motivação era a necessidade e a disciplina que me comprometi em manter durante este período. Estudei até o último minuto. Alguns dizem que é melhor relaxar, mas eu me sentiria muito culpado se não aproveitasse até o último minuto do meu tempo.

    O que foi efetivo para minha aprovação foi principalmente a disciplina de atingir o tempo de estudo diário com o qual me comprometi. Já a falha fica por conta do pouco tempo que despendi para a redação que me fez cair da posição 112 para 422.

    Ler depoimento completo
  • Paulo Lima Leal Junior TRE - SP 2017
    Gravatar 05682df21c0a7aeb3c40dfe27317390c7310900783d337d336f54e3b7f125ed2

    Meu nome é Paulo Lima Leal Junior, moro em Araras-SP e tenho 34 anos. Não tenho nível superior completo, mas estou cursando o 3° ano de direito. Decidi estudar para concurso público pois quero mudança de vida.

    Minha vida de concurseiro começou com um vídeo do Evandro Guedes no YouTube, esse cara é uma inspiração para mim. Estudo há dois anos e sou excedente no INSS, e agora aprovado no TRE. Minha rotina de estudos era 6 horas por dia, com foco maior em português e específicas, conciliando com trabalho. Minha jornada de trabalho inicia às 6:00 da manhã e chego às 15:00 em casa. Estudava até às 19:00 e ia para a faculdade, chegava às 23:00 e respondia questões até dormir.

    Estudei pelo AlfaCon YouTube e revisão de questões. Agradeço muito a Deus, ao Thállius, Evandro e toda equipe AlfaCon nessa caminhada. Sempre estive muito motivado. Como diz o Evandro "não estude para passar, estude ATÉ passar”. É preciso abrir mão de muitas coisas para poder alcançar seus objetivos, incluindo as festinhas, mas o futebol aos domingos eu não abri mão. Porém, todo o esforço foi recompensado.

    Sou casado, e tenho 3 filhos. Alguns amigos se afastam, não tem jeito, até porque você acaba se tornando o cara mais chato do mundo, não tem outro assunto além de concurso, e eu alugava os ouvidos dos meus amigos para explicar a matéria, e obviamente, eles não faziam ideia do que eu estava falando.

    Tentei outros concursos, porém, fui reprovado no DEPEN 2015. Fiquei excedente no INSS 2016, e agora fui aprovado no TRE 2016/17. Comecei a estudar sem o edital estar aberto. A motivação é colocar a remuneração, o carro e a casa que você quer, atrás dá tela do seu notebook.

    Conheci a AlfaCon através do YouTube. A AlfaCon foi essencial para a minha aprovação, pois a motivação é total e o material é ótimo. Algumas de minhas técnicas para aprender a matéria foram as musiquinhas de provimento, mnemônicos, ler e reler.

    As maiores dificuldades foi conciliar o trabalho, a faculdade, os estudos para o concurso e os filhos. Mas minha maior motivação era falar para os meus filhos todos os dias antes deles acordarem “eles dependem de mim”.

    Quando o concurso se aproximou fiquei muito nervoso, não dormia, não comia e vomitava bastante. No último mês eu potencializei as questões e deu certo. Acredito que responder questões da banca ajudou bastante na minha preparação. Revisar para não esquecer. Entretanto, redação me prejudicou um pouco, mas é lição.

    Ler depoimento completo
  • Phelipe Cartaxo DEPEN 2015
    16522367 1282544751830596 1260571536 o

    Meu nome é Phelipe Cartaxo, nasci em Goiânia, mas moro em Niterói a 14 anos. Tenho 23 anos. Não tenho nível superior completo, mas estou terminando o tecnólogo de Processos Gerenciais e tranquei minha faculdade de Direito pra fazer o curso de formação do DEPEN.

    Decidi estudar pra concurso público por saber que o mercado de trabalho não está fácil de entrar, por me dar uma estabilidade no trabalho, por ter uma ótima remuneração e porque meu sonho sempre foi ser um Agente Federal.

    Comecei meus estudos em 2013, quando saiu o edital do concurso do DEPEN daquele ano. Eu comecei a estudar especificamente ao concurso do DEPEN/2015 um mês antes de sair o edital. Minha rotina de estudo era das 7h da manhã até não conseguir ler mais nada. As vezes eu ia até as 20h, 22h. Parava pra malhar, comer e pegar o ônibus pra faculdade. Estava focado só no DEPEN e só estudava o conteúdo deste edital.

    Muita gente fala que estudar tantas horas por dia não rende muito, que estudar várias matérias por dia também não rende, mas eu estudava todas as matérias todos os dias. Eu assistia as aulas apenas uma vez e fazia meu resumo pelo o que o professor falou, pelo pdf e pelos exercícios. No final eu tinha dois cadernos de 10 matérias só de resumo. Todo dia eu lia estes dois cadernos e lia o texto de lei das portarias que caíram na prova. Então minha dedicação pras básicas ou específicas eram as mesmas.

    Eu conciliava os estudos com as duas faculdades, mas mesmo estando na faculdade, eu estudava pra concurso. Sei que não é certo, mas eu mal olhava pros professores. Outra coisa que eu conciliava era com a igreja. Eu era líder do louvor e dos adolescentes da igreja, então minhas terças, sextas e domingo a noite eu deixava exclusivamente a Deus.

    Estudei pelo anual das Carreiras Policiais, pelos pdf e pelas apostilas que eu tinha aqui do Alfacon de outros concursos. Todo o conteúdo foi batido nas aulas, menos Criminologia, mas a prova de Criminologia eu achei atípica.

    Sempre estive motivado, nunca pensei em desistir. O que sempre me deixou motivado foi meus pais dando apoio e a igreja. Uma coisa que me ajudava era assistir videos motivacionais de policia, ver fotos e claro ver a remuneração.

    Eu abdiquei de muita coisa, principalmente da minha vida social. Eu fiz um acordo comigo mesmo que iria me abdicar por alguns meses, mas que tudo é passageiro e depois eu poderia curtir muito. Um relacionamento acabou, perdi algumas amizades, mas isso faz parte. Os verdadeiros amigos são aqueles que te apoiam e permanecem do seu lado.

    Hoje eu estou namorando e moro com meus pais (pelo menos até ser nomeado).

    Meus pais no começo não aceitaram muito eu estudar pra concurso. Eu cursava Eng. Elétrica na UERJ, estava no sexto período, e falei pra eles que iria largar a faculdade pra estudar pra concurso e que iria fazer Direito. Eles não foram muito a favor, mas eles viram meu esforço e dedicação e me apoiaram. Meus amigos também me chamaram de louco, mas viram os resultados da "loucura" que eu fiz e muitos hoje me pedem conselho e ajuda.

    Eu já fiz outras provas: DEPEN 2013, Caixa (me classifiquei, mas não fui chamado até hoje), Tj/RJ, TJ/Sp (não passei por 1 questão), Bombeiro Rj (passei entre as vagas, mas reprovei no TAF) e Fiscal de Posturas de Niterói. Somente Bombeiro eu fiz pra treinar, já que a prova foi algumas semanas antes do DEPEN. A prova só caiu Português e Matemática, então decidi treinar Português. Por ter feito engenharia e ter facilidade com exatas, eu não me preocupei. A única prova que eu me decepcionei foi o TJ/RJ. Eu tinha estudado muito e tomei uma porrada gigante na prova.

    Comecei a estudar 1 mês antes de sair o edital. Estava estudando as matérias do concurso de 2013. Ainda bem que só comecei a estudar 1 mês antes, porque apenas 20% do que caiu em 2013 estava no edital de 2015 e isso fez nivelar todo mundo. Eu ficaria com muita raiva se estivesse a meses me preparando e tudo ter sido em vão.

    Quando o edital saiu, muita gente desistiu de fazer a prova por ter o conteúdo diferente da PF e PRF. Foi ai que eu vi uma ótima oportunidade de cair de cabeça nos estudos e passar. Olhei uma oportunidade onde muitas pessoas viram um problema.

    Conheci o Alfacon em 2013. Meu primo me mandou uma palestra de "Como estudar para concurso" que estava no Youtube. Foi ai que me apaixonei por concurso e pelo Alfa e conheci o mestre Evandro.

    O AlfaCon me ajudou por ter me dado o start de estudar, por estar sempre motivando os alunos falando a verdade na cara e por ter os melhores professores do Brasil passando o conteúdo de forma simples, dinâmica e muito das vezes engraçada.

    Eu sempre tive muita dificuldade de decorar. Eu sou péssimo pra decorar e sou muito esquecido. Conheço pessoas que basta ver uma vez algo que já decora ou aprende, eu preciso ver esta mesma coisa várias vezes pra decorar. Graças a Deus eu sempre tive facilidade de aprender, mas o problema era decorar mesmo. Então eu lia meus cadernos de resumo todo dia, fazia os mesmos exercícios diversas vezes e tentava bater todo o conteúdo no dia ou pelo menos em 2 dias. Não sei se é a técnica certa a se fazer, mas ela deu certo comigo.

    As maiores dificuldades foram: conciliar o tempo com a faculdade, me concentrar nos estudos com uma casa sendo construída atrás de mim e um condomínio de 10 casas do lado e dinheiro. Meu pai me sustentou durante este tempo, mas ninguém gosta de depender de ninguém e muito mais ficar pedindo dinheiro a papai, mas isso me dava mais incentivo ainda pra estudar e passar.

    Eu deixei um pouco de lado a faculdade, estuda só em véspera de prova. Eu tentava colocar música de concentração pra amenizar o baruto das obras. E eu economizava em tudo, fazia o máximo pra não gastar.

    Nunca tive muito problema com nervosismo ou ansiedade. Fui muito tranquilo pra prova, eu sabia que tinha dado o meu melhor nos meus estudos. Ficar nervoso só iria me prejudicar. Orar tira a ansiedade e o nervosismo, nos dá paz.

    Na última semana eu parei de ler meus resumos e comecei a fazer só exercícios. Acho que eu fazia mais de 500 por dia. Eu só abria o caderno pra ver o que eu tinha errado ou pra tirar dúvida. E eu estudei até os 45min do segundo tempo. No sábado (um dia antes da prova), eu fui dormir 3h da manhã pq estava estudando e assistindo algumas revisões no youtube.

    Tem um caso curioso que aconteceu logo quando eu sai da prova. Meus pais estavam me esperando no lado de fora do prédio que eu fiz, e logo que eles me viram perguntaram: "Phelipe, como você foi?". Eu respondi: "Pai e mãe, uma vaga é minha! Eu tenho certeza que passei." Todas as outras pessoas que estavam naquele ambiente ouviram e me olharam com uma cara estranha. Não falei aquilo pra menosprezar ninguém ou pra ficar me achando. Falei porque eu estava confiante no que eu fiz e confiante na minha vaga. Nem acreditei quando saiu o resultado e eu era o primeiro. Acho que até hoje a ficha ainda não caiu.

    Muitas coisas foram efetivas na minha preparação: o Alfacon, professores, Evandro, meus pais, família, amigos, ... Mas o principal foi Deus. Principalmente por ele me ajudar na parte emocional (que vale mais de 50% do motivo da aprovação de qualquer pessoa). Não adianta nada uma pessoa estar bem preparada e chegar na prova muito nervosa e ansiosa e dar um branco.

    Tenho certeza que nesta caminhada houve falhas, mas falhar é humano e faz a gente crescer.

    Cara, eu vou te falar o que eu falava pra mim mesmo todos os dias. Eu prefiro ter uma vida de merda durante alguns meses, 1 ano, 2, 3, 4, 5 anos mas estudando que nem um condenado, do que não estudar, desistir dos concursos e ter esta vida de merda pra sempre.

    Eu coloquei isso na minha cabeça quando eu tinha 21 anos e coloquei a meta até os 30 anos. Hoje estou com 23 anos e cheguei a metade do caminho. Vou continuar estudando e se for preciso, vou estudar que nem um maluco até os 30. Se eu passar no concurso dos meus sonhos antes, amém, melhor ainda.

    2017 promete ter excelentes concursos. Aproveita que a maioria parou de estudar por causa da crise e da suspensão de alguns concursos e mete a cara. Não olhe isso como um problema, veja como a oportunidade da sua vida.

    Ler depoimento completo
Carregando...